Colunistas

17/09/2015

A avalanche migratória divide a Europa - por Edgar Welzel

Problema precisa dos esforços de todos, pois é, na verdade, global e não apenas da Alemanha.

Saiba mais >>>

*Edgar Welzel, nosso correspondente, é jornalista, gaúcho, radicado em Stuttgart, Alemanha, que publica seus artigos também no jornal Opção, de Goiânia, GO.
E-mail: edgarwelzel@web.de



Comentários

deslogado
Clovis Eichler 21/09/2015, às 08:33

Bom dia senhores, a questão não é global como afirma o autor. É local e esta bem localizada no oriente médio. Esta visa tão somente a islamização europeia, o fim do estado nacional, das raças e da cultura e do idiomas das nações europeia. Indicaria e não me engano, dado aos costumes, religião, idioma que os países como, Israel, Arábia Saudita, Bahrein, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iraque, Jordânia, Kuwait, Omã, Qatar e Turquia devem ser o endereço de destino dos refugiados, nestes locais serão muito bem tratados. Pela foto percebe-se, refugiados composto somente homens sem suas famílias, interessante.Tenho certeza que o povo Europeu concorda comigo. Abraços Clovis Eichler

deslogado
Albany Herrmann 20/09/2015, às 03:09

Ter estrangeiros em seus países é lidado como um problema - vide a entrada dos turcos nos anos 60 como \"trabalhadores convidados\". Acredito que querer ajudar é uma coisa e ajudar de modo descontrolado, sem leis específicas e condições físicas, é outra coisa. Não há alojamentos suficientes, nem há vagas p que estas famílias encontrem emprego e o maior problema enquanto profa. de alemão para estrangeiros, é que os cursos de integração obrigatórios pela Alemanha são sustentados pelo governo alemão . A longo prazo isso gera um colapso na economia local. Os asilados recebem livros, transporte, acomodação nos alojamentos, comida e os cursos de idiomas, tudo isso pago pelo governo alemão - incluindo o salário dos professores. Quanto à questão legal, são muitos outros problemas que começam a surgir aqui \\\"por tabela\\\": vagas nas escolas para as crianças destas famílias, por ex. 1o temos que \\\"arrumar a casa\\\" direito para depois \\\"recebermos as visitas

deslogado
Albany Herrmann 20/09/2015, às 03:06

Ter estrangeiros em seus países é lidado como um problema - vide a entrada dos turcos nos anos 60 como \"trabalhadores convidados\". Acredito que querer ajudar é uma coisa e ajudar de modo descontrolado, sem leis específicas e condições físicas, é outra coisa. Não há alojamentos suficientes, nem há vagas para que estas famílias encontrem emprego e o maior problema enquanto profa. de alemão para estrangeiros, é que os cursos de integração obrigatórios pela Alemanha são sustentados pelo governo alemão . A longo prazo isso gera um colapso na economia local. Os asilados recebem livros, transporte, acomodação nos alojamentos, comida e os cursos de idiomas, tudo isso pago pelo governo alemão - incluindo o salário dos professores. Quanto à questão legal, são muitos outros problemas que começam a surgir aqui \"por tabela\": vagas nas escolas para as crianças destas família, por ex. 1o temos que \"arrumar a casa\" direito para depois \"recebermos as visitas\". Abraços Edga


  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2021 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia

Publicidade