No novo Ensino Médio do Colégio Humboldt, em São Paulo, aluno terá curso personalizado de acordo com seus interesses

Colégio desenhou proposta baseada em um modelo de aprendizagem nas áreas de conhecimento de maior interesse dos alunos para incentivar o protagonismo estudantil e fortalecer a autonomia do jovem 

Em 2022, escolas públicas e privadas do país deverão implementar de forma gradual o currículo do Ensino Médio, que será composto pela Formação Geral Básica, que são as disciplinas obrigatórias, e por Itinerários Formativos, em que as disciplinas, optativas, ficarão integradas em quatro áreas do conhecimento propostas pela Base Nacional Comum Curricular. A Lei nº 13.415/2017 alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional para as adaptações na estrutura desse segmento focando na formação do estudante, no desenvolvimento de suas competências e habilidades, na escolha da área de sua preferência que quer estudar e projetos de vida e carreira.

No Colégio Humboldt, instituição bilíngue e multicultural (português/alemão) localizada em Interlagos (São Paulo), a preparação para o novo currículo do Ensino Médio começou em 2018, com a alteração na matriz curricular para criar espaço para as matérias eletivas. “Desde 2019, temos eletivas, e nesse ano, chegou à 3ª série do Ensino Médio. Portanto, no momento temos essas disciplinas optativas em todo Ensino Médio”, diz Talita Marcilia, coordenadora pedagógica do Ensino Médio do Colégio.

Colégio Humboldt (17).jpgAs matérias eletivas do Humboldt fazem parte da grade horária, estão interligadas com o currículo regular e foram criadas para que o aluno escolha a opção que deseja cursar. Dentre as matérias oferecidas estão “Química Nuclear”, “História em Quadrinhos: Uma Leitura Crítica”, “Cultura Visual”, “Lógica de Programação”, “Conflitos étnicos-nacionalistas e separatismo” e “As doenças e as transformações históricas”. Algumas são matérias MINT, projeto do Colégio que recebeu certificação alemã no ano passado e que tem o objetivo de estimular o interesse dos alunos nas áreas de ciências investigativas e de pesquisas por meio da Matemática, Informática, Ciências da Natureza e Tecnologia para os estudos e futura carreira profissional. Mas Talita afirma que a oferta de eletivas sofrerá ampliação para maior possibilidade de personalização da trajetória escolar dos estudantes .

“Agora estamos abrindo mais espaço e o aluno poderá escolher mais matérias, inclusive, alinhadas aos Itinerários Formativos que vamos oferecer e ao Projeto de Vida dele”, revela a coordenadora pedagógica, explicando que antes da reforma no currículo, o Colégio Humboldt já separava um horário dentro das aulas do Ensino Médio para reflexões sobre carreira, futuro, e até a dinâmica do dia a dia da sala de aula, com um acompanhamento bem próximo do estudante na proposta de “Tutoria”, feita por professores trabalhando as questões socioemocionais que são pertinentes à juventude junto à orientação educacional. 

Aluno monta o curso

Talita diz que a expectativa da escola é criar um espaço dentro da nova grade curricular para o aluno se colocar. “O Brasil é o único país que não tem flexibilização de currículo de Ensino Médio, como uma parte que ele possa optar e que seja mais voltado aos seus interesses”, salienta. Para ela, a nova disciplina “Trabalho e Projeto de Vida” é uma mudança grande. Mais do que um projeto profissional, a nova matéria é para que ele possa pensar como cidadão e atuante na sociedade. “Não adianta fazer escolhas se o estudante não pensar em onde essas escolhas vão levar, o que vão trazer e de que maneira podem influenciar o futuro. A ideia não é acelerar sua opção profissional ou o que cursar na Universidade, mas sim, fazer o exercício de escolha e isso cabe à educação básica, cabe à escola”, avalia. 

No Colégio Humboldt, o aluno vai poder montar um curso personalizado no novo Ensino Médio com matérias ancoradas em Itinerários, para escolher as disciplinas de maneira livre. “Teremos dois Itinerários baseados nas áreas de Ciências da Natureza e Matemática e outro de Ciências Humanas com Artes e Música. Então, ele vai poder fazer três escolhas por semestre, o que dá no total, 18 matérias eletivas até o fim do Ensino Médio. Isso também contribui para além do desenvolvimento da própria autonomia para a escolha, de o estudante poder desenhar uma grade horária que faça sentido para seu Projeto de Vida”, comenta a coordenadora pedagógica.

Mais mudanças

Em relação às alterações de rotina e carga horária, o Colégio pretende redistribuir as aulas, readequando algumas para períodos da tarde. “A escola já trabalha com 38 aulas semanais e não quer exaurir o aluno. Queremos que ele consiga participar das aulas com qualidade. Hoje são sete aulas de manhã e pensamos em deixar e reajustar essa sétima aula para períodos da tarde”.

Outra novidade que o Humboldt pretende instituir é validar no histórico escolar de conclusão de Ensino Médio todos os cursos que o estudante faz, na própria escola e fora dela, sejam extras ou eletivas. “Pensamos nos processos de ingresso em Universidades no exterior, que passa por uma análise desse histórico escolar até a entrevista do candidato. Constar áreas de interesse diferentes e distintas nesse histórico, como por exemplo, esportes ou voluntariado, é bem positivo para traçar o perfil do aluno”, finaliza Talita Marcilia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *