Biergarten, um jardim para celebrar a vida

por Lissi Bender, professora universitária aposentada, ativista cultural, comentarista AHAI/bl. 02 e membro da Academia de Letras de Santa Cruz do Sul, RS.

Acolhedor, sociável, hospitaleiro – Gemütlich, gesellig, gastfreundlich – assim se define um tradicional lugar em que você pode degustar cerveja em canecos, acompanhado de um delicioso lanche, sentado sob a sombra de árvores e conversar tranquilamente com outras pessoas. Esta é a descrição de um lugar com mais de 200 anos de tradição: O Biergarten.  

Um Biergarten não é somente um jardim no qual as pessoas sentam para degustar cerveja. Ele é mais do que espaço gastronômico e tem tradição na Alemanha. O primeiro remonta ao início de 1800, em München. Atualmente existem quase três mil Biergärten na Alemanha, conforme a plataforma Biergartenfreunde na internet. O maior deles fica em München, o Hirschgarten que oferece lugar para oito mil pessoas. Possivelmente o maior do mundo

Para a sua existência existem critérios. Por exemplo: tradicionalmente é permitido que os frequentadores tragam seu próprio lanche para acompanhar a cerveja. Claro, enquanto estiverem consumindo. Hoje nem todos mantém esta prerrogativa. De qualquer modo, todo Biergarten oferece uma variedade de acompanhamentos que combinam com a bebida. Como: pão Brezel; Kartoffelsalat com Bratwurst: salada de batata com salsicha alemã grelhada ou Nürnberger Rostbratwürstchen; a Weißwurst, salsicha branca com mostarda doce; Currywurst com batata frita; Leberkäs – Pão de carne assada servida com pãozinho.

Outro detalhe, é bom levar bastante sede consigo, porque o chopp é servido em canecos de um litro, ou no mínimo em canecos de 500 ml. Também se deve deixar sobrar um restinho no fundo do caneco, quando se está satisfeito. Do contrário o garçom vai servir mais um caneco de um litro. Biergärten também não podem ficar abertos noite adentro. 23 horas é horário para o encerramento. Isto para preservar a Nachtruhe – o sossego noturno, sagrado para os alemães. 

Além disso, num autêntico Biergarten os caminhos são feitos com cascalho e as mesas ficam sob a sombra de árvores, de castanheiras, por oferecerem agradável sombra durante o verão. Também as mesas, bancos e cadeiras devem ser de madeira, de preferência rústicas. Num Biergarten cadeiras e mesas de plástico são um pecado mortal. 

A propósito: as mesas geralmente são compridas, ladeadas por bancos com a intenção de promover interação entre os frequentadores.  Sociabilidade é a palavra-chave. Diferente do espaço, mais privado, em restaurantes, no Biergarten as pessoas pedem licença e sentam junto a demais pessoas. Isto facilita e promove interação entre elas. Portanto, um bom lugar para conhecer outras pessoas e travar conversas interessantes.

Na Alemanha o meu Biergarten preferido é o Neckarmüller em Tübingen, às margens do rio Neckar (afluente do Reno). Fica bem junto à ponte que dá acesso a Altstadt – ao Centro histórico. Lá posso degustar minha cerveja preferida observando os peixes nadando tranquilamente no rio.  

Um Biergarten – nos moldes tradicionais – seria uma maravilhosa ideia para a cidade e para as regiões de imigração alemã. Nele as cervejarias locais poderiam ter seu espaço. Significaria integrar um pedacinho da tradição alemã e promover um lugar especial de acolhimento, sociabilidade e hospitalidade, para moradores e turistas.

Lissi Bender já contribui com programa AHAI há mais de 15 anos.

Gostou? Compartilhe com os amigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.