Vinte milhões de toneladas

Por Ivar Hartmann, promotor público aposentado

O operário foi chamado por que a fábrica de calçados ia aumentar a pequena produção de 2020 face a nova demanda. A concessionária de veículos abriu vagas para mecânicos. A atacadista de produtos alimentícios recebeu pedido do gerente de vendas para aumentar os estoques devido aos pedidos dos pequenos armazéns. E assim vai. O aumento em um setor repica em inúmeros outros. Mais comida, mais roupas, mais calçados, mais móveis, mais eletrônicos. Mais gerentes, vendedores e técnicos para atender. No fundo a espetacular safra de soja de 2021 do Rio Grande do Sul, de 20 milhões de toneladas e do Brasil, 134 milhões de toneladas, menor apenas que a americana. Comparando: a safra mundial foi de 363 milhões de toneladas. O grão é ouro vegetal, fundamental para o mundo. Nossa principal cultura injetará um recorde de dinheiro na economia gaúcha. 

O valor bruto da produção (VBP) da soja, o que será recebido pelos produtores com a comercialização a preço de mercado, segundo o Ministério da Agricultura, será de mais de R$ 50 bilhões em 2021, acréscimo de 104,1% frente a 2020.  No Brasil, o mesmo. Mato Grosso é o maior produtor seguido do RS e do Paraná. Mais importa é o dinheiro que a cultura fará rodar pelo país. Novos empregos garantidos, novas tecnologias de plantio e colheita, impostos arrecadados. O agronegócio foi o grande responsável pelo crescimento de 5,5% da economia do Estado no primeiro trimestre e o soja aumentou em mais 74% em relação ao ano anterior. A Aprosoja calcula que são 243 mil produtores que empregam 1,4 milhões de pessoas.  70% da produção é exportada representando 43,5% das exportações brasileiras e gerando mais de 30 bilhões de dólares de receita. O horizonte é o limite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *