Um significado pomerano para a festa da colheita – por Ivan Seibel*

Não é raro ouvir a expressão: “Vamos plantar com fé em DEUS e tudo vai dar certo”. Tudo que o pomerano faz, o parece fazer com fé, com fervor religioso e com DEUS.

Os mais antigos já benziam utilizando o nome de DEUS. Ainda hoje, todas as citações de benzedeiras durante o seu procedimento são orações, ou seja, são citações bíblicas. Os pomeranos vão à igreja fazer as suas orações a DEUS. As citações que podem ser observadas nos quadros das suas casas não frases bíblicas. Enfim, DEUS é a imagem central da sua vida. Desta forma também na festa da colheita o pensamento em DEUS costuma estar no centro dos agradecimentos realizados por toda a coletividade daquela comunidade.

Entretanto, há um fato que chama atenção e que é, no mínimo inusitado: No momento de agradecer pela bela colheita, por ocasião do oficio religioso, os produtos da safra, na forma de doação são depositados sobre o altar da igreja. Seria isto uma forma de sacrifício à DEUS por ter propiciado esta bela colheita? Até que ponto esta forma de “sacrifício” não seria uma herança pagã? Uma herança dos tempos em que se fazia oferendas aos deuses da natureza? Aqui cabe, no mínimo, uma profunda reflexão!

*Ivan Seibel, Reg. Prof. Mtb 14.557, natural do Espírito Santo, é médico em Venâncio Aires, RS, escritor (“Imigrantes a duras penas”, entre outros), comentarista do programa radiofônico semanal AHAI – A Hora Alemã Intercomunitária > bl 03, colunista www.brasilalemanha.com.br e editor de Folha Pomerana Express >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *