Associação de Ex-Bolsistas do Brasil na Alemanha – AEBA busca novos sócios

A demora da resposta foi motivada por problemas administrativos da entidade causadas pelo término de auxílios financeiros a partir de 2010, previamente existentes ao longo de décadas por parte da Alemanha.

Essa situação forçou a entidade a redução nas atividades existentes. A partir do ano passado, um reduzido grupo de associados vem se cotizando através de contribuição mensal o que permitiu a manutenção das atividades desse grupo, que no corrente ano se dedica a estudos no campo da energia, bem como, mais recentemente, na contratação de uma estagiária em tempo parcial para a execução de um mínimo de atividades administrativas, entre os quais a comunicação com associados e interessados, como os destinatários desta correspondência.

A questão fundamental é, qual o interesse e ou benefício para alguém associar-se a AEBA. Como resposta tem-se o histórico da instituição que relaciona cerca de 200 atividades ao longo de seus 50 anos de existência distribuídos na realização de eventos, como cursos, seminários, congressos, oficinas, publicação de livros nos mais diversos campos de atuação da atividade humana e que contam com apoio do Instituto Goethe através da cessão de uma sala para a AEBA, além de seu auditório, biblioteca e possibilidade de abatimento em cursos de alemão aos associados da AEBA.

De parte da AEBA existe o óbvio interesse no aumento do quadro de associados, colocando-se à disposição para maiores contatos através do telefone (51)3346-1430, quartas e sextas-feiras, das 14 as 18 horas, ou através do email aebars@portoweb.com .

A AEBA

Como em muitos outros lugares, o Rio Grande do Sul conta com uma entidade de representa àqueles que buscaram aperfeiçoamento na Alemanha e que é a segunda mais antiga do mundo e sediada em Porto Alegre. Há ainda um núcleo em Santa Maria.

A Associação dos Ex-bolsistas na Alemanha no Rio Grande do Sul – AEBA foi fundada em 27 de maio de 1964 mantendo até hoje 50 anos de atividades ininterruptas.  Nesse período realizou mais de 200 atividades entre palestras, cursos, seminários, oficinas, simpósios, livros, excursões, abordando os mais variados assuntos. Nessa trajetória histórica ,suas atividades podem ser divididas em dois períodos bem distintos: nos primeiros 15 anos aconteciam reuniões de ex-bolsistas em que um relatava aos outros suas experiências de aprendizado na Alemanha em suas respectivas áreas de atuação, normalmente em jantares. Tais reuniões eram motivadoras a futuros candidatos a bolsas de estudo. A partir da década de 80 do século passado as reuniões foram, além dos relatos já citados, gradualmente migrando para assuntos de interesse da sociedade orientados normalmente de acordo com a origem profissional do presidente da AEBA. Se médico, na área da saúde, se engenheiro, em área técnica e assim por diante, em jantares ainda, mas também em eventos abertos a sociedade. Como exemplos bem sucedidos, podem-se apontar atividades apoiando iniciativas que levaram a implantação da gestão em recursos hídricos, da implantação da coleta seletiva de lixo na cidade de Porto Alegre. Em seu percurso histórico a AEBA propiciou, durante muitos anos, sistemático auxilio ao DAAD – Deutsche Akademische Austauschdienst, na seleção e orientação de candidatos a bolsas de estudo, contando para tal com o apoio dos recursos humanos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, principalmente e da Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre, entre outras. Em sua operacionalização contou no inicio com auxílio do ICBA – Instituto Cultural Brasileiro Alemão, Consulado Geral da Alemanha, Instituto Goethe (desde o estabelecimento deste em Porto Alegre), Fundação Carl Duisberg (CDG), Fundação Humboldt, bem como de entidades brasileiras como o CNPq – Conselho Nacional de Pesquisas, CAPES – Coordenação do Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior.

Destaque deve ser dado à parceria que foi estabelecida com o Instituto Goethe, desde o início de suas atividades em Porto Alegre e que perdura até o presente. A importância deste relacionamento fica evidente principalmente quando a partir de 2010 cessou todo e qualquer auxílio financeiro por parte de organizações alemãs, ficando a manutenção da AEBA integralmente por conta das anuidades pagas pelos membros associados. A existência de uma sala para AEBA nas dependências do Instituto Goethe, bem como a possibilidade do uso de suas instalações, como o auditório, por exemplo, tem garantido a existência da instituição, mesmo sem poder contar com recursos para custeio, sequer de uma secretária.

Esse passado de conquistas e de serviços prestados à sociedade tem motivado um pequeno grupo de pessoas, nem todos ex-bolsistas da Alemanha, a lutar para manter a chama acesa, sonhando e buscando recolocar a AEBA no patamar que logrou ocupar até um passado recente.

Sem duvida nenhuma, esta é uma entidade que merece ser apoiada.

Contatos pelo email  aebars@portoweb.com ou pelo telefone 3346-1430 as quartas e sextas das 14 as 18 horas com a Srta. Nicholy.

Veja também: AEBA RS – Uma história de pioneirismo – por Adolpho Kurth Hanke

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *