Público prestigia um ano de Parque da Leitura

Na edição de sábado, dia 29 de março, o Projeto Parque da Leitura superou todos os números de participantes das edições anteriores e acolheu 421 leitores na árvore cultural do Ramiro Ruediger. O dia encerrou a semana de aniversário de um ano, recebendo pela manhã 150 alunos da Escola de Educação Básica Victor Hering.

Para a coordenadora do projeto, Patricia Constâncio, da Fundação Cultural de Blumenau, o interesse pela leitura fica evidenciado na avaliação pós-evento do aniversário do Parque da Leitura. “O projeto já tem visibilidade regional e as atividades durante toda a semana passada contaram com a participação de pelo menos quatro municípios vizinhos: Timbó, Gaspar, Ilhota e Pomerode.”

Prestigiaram a iniciativa ao longo da semana festiva um total de 14 escolas – três da rede particular, três da rede pública estadual e oito da rede pública de Blumenau e cidades vizinhas. A Escola de Educação Básica Victor Hering, que durante a semana não conseguiu agenda para os alunos participarem, ampliou sua estratégia de mediação leitora e compareceu sábado com os alunos e pais. Estes, além de comporem a comunidade escolar, residem na proximidade do Parque Ramiro Ruediger.

Um total de 1.919 leitores entre alunos, professores, pais e usuários da área de lazer puderam comemorar um ano de existência do Parque da Leitura. Durante a semana, o projeto contou com a participação dos alunos da Fundação Pró-Família que após sua atividades de rotina, curiosos, usufruíram da dinâmica diferenciada no parque e dos espaços convidativos à leitura. “O sol foi generoso e as árvores acolhedoras com suas sombras e, neste contexto, a vontade de ir embora mostrou-se distanciada em muitas ocasiões. Era comum ouvir das crianças leitoras: já acabou?, temos que ir agora?, podemos ficar mais um pouco?”, lembra Patrícia.

O grande ganho para o leitor foi a possibilidade de, a cada dia, ter acesso a uma árvore temática e contato com diferentes textos: poesias, literatura de autores estrangeiros, literatura nordestina e cordel, histórias de terror, narrativas visuais além da árvore com diversidade literária e o prazer de ouvir uma histórias contada e cantada na voz do contador de histórias e músico Pochyua Andrade.

 

Bolo e alegria

 

O Parque da Leitura fechou a programação de aniversário com chave de ouro ao receber sábado uma leitora surda, o que garante ao projeto uma ação inclusiva. Os “leitores ouvintes” puderem receber, na língua brasileira de sinais – Libras, a leitura da história “Era uma vez uma velha”, de autoria de Jan Pienkowiski, da Editora Salamandra. Em seguida, após cantarem os parabéns, os presentes saborearam o bolo de aniversário de um ano do Projeto Parque da Leitura que o Restaurante Cheff Manu ofereceu. “Aniversário combina com alegria, bolo, convidados e a prática da leitura de boas histórias”, diz Patricia.

Quem participou das celebrações lembra dos bons momentos de lazer e confraternização. Sábado, a Escola Victor Hering fez uma caminhada com os pais e alunos desde a sede na Vila Nova até o Ramiro Ruediger. O dia ensolarado favoreceu as contadoras de histórias Patricia e Shirlei Dickmann que, debaixo da sombra de uma árvore, conduziram os alunos e suas famílias a uma maravilhosa viagem ao mundo da leitura. “A atividade faz parte do projeto que incentiva o gosto por livros”, salienta Rosane Baron Dalbosco, diretora da Escola Victor Hering. “Contudo, como benefício secundário, somos presenteados com o fortalecimento de vínculos entre pais e filhos e entre a família e a escola. Isso só favorece o processo de aprendizagem. É muito gratificante”, comemora.

A professora universitária Laura Cristina Peixoto Chaves conta que, ao fazer a habitual atividade física no Parque Ramiro, viu, sentiu e se emocionou com o Parque da Leitura. Para ela, é um verdadeiro espetáculo ver as crianças sentadas embaixo das árvores ouvindo histórias. “É um projeto fantástico, sabidamente de baixo custo e que cumpre uma importante finalidade cultural e social. Não tem preço ver aquelas crianças em estado de encantamento com a literatura, imaginando, sonhando, experimentando”, comenta. “Acreditar em sonhos nos faz crescer, acreditei no projeto e juntas crescemos… Foi um ano de muitas conquistas e muitas amizades”, completa a contadora de histórias Shirlei Dickmann.

 

As opiniões

 

“Comprometimento e profissionais aliados a muito amor. Quem ganha somos nós que temos a oportunidade de participar deste projeto maravilhoso”.

Lucilene Schimitt – diretora da Escola Anita Garibaldi

“Foi um sucesso. As nossas crianças de Ilhota agradecem. Abraço a todos que organizaram. Educação de qualidade para todos.”

Airton Corrêa – secretário Municipal de Educação de Ilhota

“Realmente, o Parque da Leitura foi um sucesso. As crianças e os professores ficaram encantados! Tão encantados que as crianças menores do 1º e do 2º ano nem pediram para ir ao parquinho. Eventos como estes precisam acontecer mais na nossa cidade. Vou comunicar via agenda este projeto para todas as famílias que fazem parte da nossa comunidade escolar. Para que conheçam e apreciem esta iniciativa aos sábados.”

Emanuele Brandão – coordenadora Fundamental I, Colégio Menino Jesus

“Projeto muito bom. As crianças se envolveram durante todo o percurso, em todas as tendas. Mesmo os menores estavam com os olhos brilhando durante as histórias e adoraram manusear os livros. O circuito ganhou dinâmica diferenciada e no tempo, que não foi pouco, nem em excesso. Deixou gostinho de quero mais”.

Regiane Greice Furlani – professora do 1º ano, Colégio Menino Jesus

“Achei o passeio muito legal. Gostei dos livros e o que mais me chamou atenção foi o jeito de como eles contavam as histórias. Gostei muito da história cantada”.

Nicolas Fontanive Higet – 8 anos, 3º ano matutino, Colégio Menino Jesus

“Achei o Parque da Leitura bem legal. O que eu mais gostei foi das Poesias Andantes”.

Clara Luiza Fausto – 9 anos, 4º ano vespertino, Colégio Menino Jesus

“Passeio muito legal. Foi incrível! Foi muito especial para todos. E o melhor de tudo isso é que devemos aproveitar. Eu adorei!”

Gustavo Henrique Weber – 1º ano vespertino, Colégio Menino Jesus

“O movimento de ida com as professoras a esse espaço começou a partir do convite. Plantou-se o desejo, e a caminhada até o parque gerou expectativa, curiosidade. A colheita de cada espaço de leitura trouxe encantamento, sensibilidade, possibilitando novos olhares.”

Diana Sueli Vasselai Simão – CEI Hilca Piazera Schnaider

“Foi de grande valia, um novo olhar, um aprendizado. Faz com que possamos refletir sobre como estamos trabalhando e o que podemos fazer para melhorar e criar hábitos de leitura na criança para que se torne um grande leitor no futuro. O espaço é ótimo, diferente. Prova que podemos explorar todos os ambientes no CEI. As pessoas envolvidas fazem com que nos tornemos espectadores participativos. Despertam curiosidade. Patrícia ama o que faz, ela passa isso pela sua expressividade, ela é show”.

Vanderléia Campos – professora, CEI Franz Volles

 

Saiba mais

O que: semana de aniversário de um ano do Parque da Leitura

Quando: 24 a 28 (escolas) e 29 de março (aberto ao público)

Onde: Parque Ramiro Ruediger

Instituição promotora: Fundação Cultural de Blumenau

Idealizadora e coordenadora do projeto – Patrícia Constâncio

Secretarias envolvidas: FCBlu (promotora) SEMED e FMD (apoiadora)

Apoio cultural: Calesita Indústria de Brinquedos Ltda e Cheff Manu restaurante

 

 

Fonte: Patricia Constâncio, coordenadora do Parque da Leitura, Fundação Cultural de Blumenau (47 3381-6190 / 3381-6193 / 9989 8040)

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello (47 3381-6190 / 9977-9689)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.