Consulado Geral comemora Dia da Unidade Alemã em Porto Alegre

 
Dr. Stefan Traumann, Cônsul Geral em Porto Alegre desde agosto de 2013

 

O Dia da Unidade Alemã, 3 de outubro, será comemorado em Porto Alegre
com recepção para convidados no Salão Nobre do Centro Cultural 25 de
Julho a partir das 19h30min nesta quinta-feira. O novo Cônsul Geral Dr.
Stefan Traumann e Esposa recebem convidados da política, economia e
cultura do RS e SC – áreas de atuação do Consulado Geral da Alemanha em
Porto Alegre – para comemorar os 23 anos de reunificação alemã.

interpretação dos hinos nacionais será executada pela Orquestra Jovem do

Instituto Popular de Arte-Educação – IPDAE. Do evento participarão também
os integrantes da Delegação da Comissão Parlamentar para Agronegócios e
Defesa do Consumidor do Parlamento do Estado de Baden-Württemberg, em
visita ao Rio Grande do Sul de 3 a 5 de outubro.
 
Integram a delegação representantes de diversos partidos políticos da
Alemanha, num total de 16 parlamentares. O grupo realizará visita à Secretaria
da Agricultura, Pecuária e Agronegócio e à Secretaria de Desenvolvimento,
Pesca e Coooperativismo do Rio Grande do Sul, onde será recebido pelos
respectivos Secretários de Estado.

Áreas de interesse da delegação são assuntos ligados à importação/exportação de produtos e alimentos, produção

de bioenergias e programas de incentivo à agricultura. O grupo visitará
empreendimentos rurais em São Paulo (SP), Londrina (PR) e Capivari do Sul (RS).

O Consulado Geral da Alemanha em Porto Alegre convida para uma
entrevista coletiva com os representantes desta delegação no dia
03.10.2013, quinta-feira, às 18h30min. no Centro Cultural 25 de Julho, Rua
Germano Petersen Jr., 250, Bairro Auxiliadora.
 
Contato Assessoria de Comunicação: Verônica Kühle – Tel.: 51 3224.9255 / 51 8225.6631

Dia da Unidade Alemã 2006 – Etapas do processo de reunificação alemã: uma cronologia

 

A Alemanha comemora, no dia 3 de outubro, o 23° aniversário de sua reunificação. As eleições fraudadas, levas nunca vistas de pessoas deixando o país e as manifestações maciças de protesto de 1989 provocaram, em poucos meses, o colapso do aparelho de Estado da República Democrática Alemã (RDA). Com a renúncia de Erich Honecker, Chefe de Estado e do Partido Socialista Unitário da RDA, em 18 de outubro, e a queda do Muro, iniciou-se, em novembro de 1989, o rápido processo de reunificação. A seguir, algumas das etapas mais marcantes desse processo:

 

9 de novembro de 1989 – Günter Schabowski, membro do Politburo do Partido Socialista Unitário (SED), menciona, por alto, em uma conferência de imprensa, que a RDA tinha aberto as fronteiras com efeitos imediatos. Pouco depois, milhares de alemães orientais correm para os postos de fronteira. Caía ali o Muro de Berlim, vinte e oito anos após sua construção.

 

13 de novembro de 1989 – O Parlamento da RDA (Volkskammer) encarrega o chefe distrital do Partido Socialista Unitário em Dresden, Hans Modrow, de formar um novo governo. Começam a aparecer também, nas passeatas de protesto das segundas-feiras, há meses iniciadas, faixas com a frase "Alemanha, pátria unida".

 

3 de dezembro de 1989 – O Politburo do SED e o Comitê Central renunciam em massa, por pressão de membros do Partido.

 

7 de dezembro de 1989 – Uma comissão de representantes dos antigos e novos partidos e organizações, chamada "Mesa-Redonda", reúne-se, sob a moderação de representantes eclesiásticos, para apresentar propostas de solução para a crise nacional.

 

19 de dezembro de 1989 – O Chanceler Federal da Alemanha Ocidental Helmut Kohl, do Partido Democrata Cristão (CDU), faz sua primeira visita oficial à Alemanha Oriental. Em Dresden, é recebido entusiasticamente pela população, aos brados de "Helmut, Helmut" e "Alemanha, pátria unida".

 

15 de janeiro de 1990 – Aproximadamente dois mil manifestantes invadem o Escritório Central da STASI, a polícia política da RDA, em Berlim Oriental, enquanto outros dez mil protestam em frente ao prédio.

 

28 de janeiro de 1990 – Representantes dos antigos e novos partidos da RDA concordam em formar um governo de transição, com a participação também de grupos defensores de direitos civis com assento na "Mesa-Redonda".

 

1° de fevereiro de 1990 – Hans Modrow, Primeiro-Ministro da RDA, apresenta ao Parlamento projeto de lei no sentido da reunificação da Alemanha, baseado na neutralidade militar e na estrutura federativa.

 

7 de fevereiro de 1990 – O governo da República Federal da Alemanha decide propor, à República Democrática Alemã, negociações imediatas sobre uma unificação monetária.

 

18 de março de 1990 – Realizam-se as primeiras eleições livres na RDA, com vitória indiscutível da aliança conservadora liderada pelo Partido Democrata Cristão (CDU).

 

12 de abril de 1990 – O primeiro Parlamento da Alemanha Oriental eleito livremente elege Lothar de Maiziere, do Partido Democrata Cristão (CDU), como Primeiro-Ministro.

 

23 de abril de 1990 – O Governo de Coalizão de Bonn aceita as bases de um tratado bilateral de união monetária.

 

5 de maio de 1990 – Começa, em Bonn, a primeira rodada da Conferência 2+4 com os Ministros de Negócios Estrangeiros dos Estados Unidos da América (EUA), União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), Grã-Bretanha, França, República Federal da Alemanha e República Democrática Alemã. O tema central é a Aliança Atlântica.

 

18 de maio de 1990 – Os governos das duas Alemanhas assinam o Tratado Bilateral de União Econômica, Monetária e Social. Kohl vê nele o "nascimento de uma Alemanha livre e unida".

 

1º de julho de 1990 – A união monetária entra em vigor: a Alemanha Oriental adota o marco alemão. Suprime-se o controle de entrada e saída de pessoas na fronteira entre as duas Alemanhas.

 

2 de julho de 1990 – Começam, em Berlim Oriental, as conferências sobre o segundo tratado bilateral: o da Unificação.

 

16 de julho de 1990 – Helmut Kohl e o Chefe de Governo e Presidente do Partido Comunista soviético Mikhail Gorbachev anunciam a abertura das conversações sobre a OTAN. A Alemanha mantém-se membro da Aliança Atlântica após a reunificação.

 

22 de julho de 1990 – O Parlamento da Alemanha Oriental aprova lei restabelecendo os Estados como unidades federativas da República Democrática Alemã.

 

23 de agosto de 1990 – O Parlamento da Alemanha Oriental aprova a unificação do país à República Federal da Alemanha a partir de 3 de outubro.

 

31 de agosto de 1990 – O Tratado de Unificação das Alemanhas é assinado em Berlim Oriental e ratificado, em 20 de setembro, por dois terços dos membros dos Parlamentos dos dois países.

 

24 de setembro de 1990 – A República Democrática Alemã abandona o Pacto de Varsóvia.

 

1º de outubro de 1990 – A Alemanha recupera integralmente sua soberania com a revogação dos direitos especiais dos Aliados da 2ª Guerra Mundial sobre Berlim, a partir de 3 de outubro.

 

3 de outubro de 1990 – À meia-noite, a bandeira negro-vermelho-dourada da Alemanha é hasteada em frente ao edifício do Reichstag (antigo Parlamento alemão) ao som do Hino Nacional, enquanto centenas de milhares de alemães comemoram a Unidade Alemã nas ruas de Berlim e de várias outras cidades.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *