Esta versão está descontinuada.

Acesse novo site do portal Brasil Alemanha:

https://www.brasilalemanha.com.br

Colunistas

11/08/2015

Um história de arara multicultural, poliglota e longeva - A Arara dos Raddatz - por Ênio e Ima Raddatz

Foi em 1957 quando o casal Bernardo e Irene Freitag Raddatz e família resolveram participar de um projeto pioneiro no norte do Mato Grosso-MT, na Gleba Arinos, atual Porto dos Gaúchos.

O pai Bernardo Raddatz, era funcionário da Conomali, empresa que colonizou uma área de terras as margens do rio Arinos. A mãe Irene, tocava uma pensão junto ao porto. E, em virtude das atividades que exerciam tinham muitos contatos com as pessoas de fora e da região como seringueiros, garimpeiros, colonos e missionários que faziam contatos com os indígenas, dentre outros.

Em 1958 um piloto de lancha popularmente conhecido por “parazinho”, que morava na pensão, conseguiu com indígenas que viviam na região do rio Juruena duas araras adultas e mansas, primeiro uma e mais tarde outra, de presente. Além dos ruídos naturais, as aves falavam algumas palavras que nós não entendíamos. Alguns meses em nosso convívio, sempre soltas em árvores, começaram falar algumas palavras em português e alemão, como nome das pessoas, atiçar cachorros, falavam cerca de vinte palavras.

Em 1960 a primeira arara morreu. Em meados de 1962, a família Raddatz retornou ao sul e trouxeram uma das araras, vindo a morar em São Roque, interior de Tuparendi e em 1967 na cidade, onde o casal Bernardo e Irene viveram até o final da vida. A mãe faleceu em 1999 e o pai em 2001. Um pouco antes de falecer, o pai questionou “quem vai cuidar da arara depois”? Ao que minha esposa Irma e eu (Enio), se dispomos para seguir cuidando da arara.

Após o falecimento do pai (Bernardo), com auxílio de familiares e amigos, transferimos a arara para a nossa casa, onde viveu sob os nossos cuidados solta nas árvores no quintal, durante 13 anos. Vindo a falecer em 13/08/2014, por causas naturais, conforme atestado de óbito emitido pelo médico-veterinário que nos auxiliava e orientava nos cuidados. Cumpre salientar, que a arara fazia parte da família, pois convivemos com ela entre 1958 e 2014, portanto, 56 anos. Quanto a sua idade não temos certeza, mas como a recebemos adulta é superior a 56 anos. Sob forte emoção sepultamos a arara em nosso quintal, junto ao jardim florido.

Texto e foto: Enio e Irma Raddatz

Tuparendi (RS), 11/08/2015.

 

Fonte: VILSON WINKLER

Jornalista MTB 14977

Oficial Administrativo / Assessor de Imprensa

Prefeitura Municipal de Porto Mauá-RS

vilson@portomaua.rs.gov.br ou vilson.winkler@gmail.com

(55) 3545 1146 (coml) ou 9613 1158



Comentários

deslogado
rolex replica 20/11/2017, às 05:09

In 1868, PatekPhilippe watch factory made the rolex replica world's first watch (watch). With technology updates, watch movement continues to replica rolex be complicated, watchmakers and art elements will be replica watches uk integrated into the watch, so that the original mechanical ice has been emitting a charming light, and slowly attracted numerous pairs of machinery Interested people, now watch is not only people's requirements for time, but also become a symbol of replica watches identity and status of people, which has aroused the concern of collectors.

deslogado
fgh 21/04/2017, às 03:53

Rolex watch logo LOGO is a crown, Rolex watch logo LOGO prototype from the swiss replica watches beginning of a five fingers outstretched palm, gradually sublimated to the commanding heights of the crown. The palm signifies Rolex replica watches every detail is made entirely by hand, each lines are pure hand carved in the fake omega precious metals above, that Rolex uses a spirit of excellence to create each watch. Later, Rolex watches LOGO logo from the palm into the crown, a symbol of fake hublot watches enterprise has joined as the world leader in watch inside, like its logo, Rolex as a king like in the watch in the field list of small hills.

deslogado
Enio Prediger 17/08/2015, às 13:02

Gostei da historia. A meu chará e sua esposa Irma meus parabens. Imagino que esta arara também tinha um nome, ou? Saudações

deslogado
Enio Prediger 17/08/2015, às 13:01

Gostei da historia. A meu chará e sua esposa Irma meus parabens. Imagino que esta arara também tinha um nome, ou? Saudações

deslogado
IGOR RAFAILOV 16/08/2015, às 12:39

Foi nesta cidade, Porto dos Gaúchos, que foi registrado o terremoto mais forte no Brasil: 6,7 na Escala Richter. Medido pela estação sismológica da UFRN. Raros sabem e é pouco divulgado.

deslogado
IGOR RAFAILOV 16/08/2015, às 12:39

Foi nesta cidade, Porto dos Gaúchos, que foi registrado o terremoto mais forte no Brasil: 6,7 na Escala Richter. Medido pela estação sismológica da UFRN. Raros sabem e é pouco divulgado.

deslogado
IGOR RAFAILOV 16/08/2015, às 12:39

Foi nesta cidade, Porto dos Gaúchos, que foi registrado o terremoto mais forte no Brasil: 6,7 na Escala Richter. Medido pela estação sismológica da UFRN. Raros sabem e é pouco divulgado.


  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2021 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia

Publicidade