Colunistas

18/06/2014

Pe. Aloysio Bohnen SJ - Curriculum vitae

IDENTIFICAÇÃO

ALOYSIO BOHNEN nasceu em 23-6-1936, em Três de Maio, RS, de família dedicada à agricultura, descendente de imigrantes alemães. Seguindo sua vocação, ingressou no seminário ainda jovem, tendo sido ordenado padre jesuíta (SJ > Societas Jesu > Companhia de Jesus) em 20-12-1969.

FORMAÇÃO ACADÊMICA

Bacharelou-se em Filosofia e em Ciências Econômicas e é Licenciado Eclesiástico em Filosofia, cursos realizados nas antigas Faculdades da UNISINOS. É Licenciado Eclesiás­tico em Teologia, pela Faculdade Pontifícia de Teologia Cristo Rei, em São Leopoldo, RS. Concluiu Doutorado em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, em 1974.

CARGOS EXERCIDOS NA UNISINOS

Iniciou suas atividades na UNISINOS na década de 1970, como Assessor de Planejamento do Vice-Reitor Administrativo. Após, foi Vice-Reitor Administrativo Adjunto (1979-1981), Coordenador Adjunto de Pós-Graduação e Pesquisa (ago. 1983 a ago. 1984) e Coordenador Geral de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (ago. 1984 a dez. 1985).

 Em 1.º-01-1986, assumiu como quinto Reitor da UNISINOS, encerrando sua quinta gestão ininterrupta (4 anos cada) em 31-12-2005. Em 2-1-2006, passou a exercer a função de Vice-Reitor.

 CARGOS EM OUTRAS ENTIDADES

- foi: (a) Vice-Reitor Substituto do Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma, em 1972; (b) Diretor de Assistência e Educação da Associação Antônio Vieira (mantenedora da UNISINOS), de 1975 a 21-8-1986; (c) Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico de São Leopoldo, em 1986 e 1987; (d) Presidente da Associação Brasileira de Universidades Católicas - ABESC, de 28-6-2001 a 19-6-2003; (e) integrante do Conselho Fiscal da Associação Brasileira de Universidades Comunitárias - ABRUC, de junho de 1999 a junho de 2002; (f) 2.º Vice-Presidente da Associação das Universidades Confiadas à Companhia de Jesus na América Latina - AUSJAL, de julho de 2001 a julho de 2005;

- é: (a) Presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Rio dos Sinos - CONSINOS (órgão vinculado ao governo do Estado) desde julho de 2002, tendo já exercido duas gestões anteriores, de julho de l994 a outubro de l997; (b) integrante, desde 1999, do Movimento “Viva São Leopoldo”, composto por seis grupos temáticos, tendo como instituidores a UNISINOS, a Prefeitura Municipal de São Leopoldo, a ACIS/SL e o Grupo Editorial Sinos; (c) Membro do Conselho Superior da Associação Qualidade RS, do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade - PGQP, desde 1998, com o seguinte desdobramento: Presidente, desde 1998, do Comitê Universidades e Vice-Presidente desse Conselho desde dezembro de 2004; (d) Membro, desde 2003, do Conselho das Partes Interessadas do Movimento Brasil Competitivo - MBC, sediado em Brasília, no qual lidera o Comitê Temático de Educação.

ATUAÇÃO DOCENTE

Ministrou disciplinas:

- na UNISINOS: (a) em cursos de Graduação: Doutrina Social da Igreja; Sociologia Urbana e Rural; Deontologia; Introdução à Economia; História do Pensamento Econômico; Moral Especial; (b) em cursos de Pós-Graduação: Ética Social;

- na PUCRS (Graduação), em Porto Alegre: Doutrina Social da Igreja;

- no Colégio Anchieta (Ensino Fundamental), em Porto Alegre: História do Brasil; Alemão do Brasil; Doutrina Social da Igreja.

Ministrou dezenas de palestras no Rio Grande do Sul e em outros Estados, em universidades e associações, com enfoque em desenvolvimento, mudança comportamental, liderança, planejamento estratégico, ética, solidarismo e subsidiariedade.

PUBLICAÇÕES

Livros:

BOHNEN, Aloysio. A dignidade da pessoa humana e sua fundamentação filosófica social no pensamento de Gustav Gundlach (Tese de Doutorado). Roma: Universidade Grego­riana/Organizzazione Internazionale Quo Vadis, 1974 (reelaborada em 1983).

BOHNEN, Aloysio. Doutrina social cristã. Porto Alegre: Meridional EMMA, 1968.

BOHNEN, Aloysio (coord.); ULLMANN, Reinholdo Aloysio. Educação - incumbência da família, da Igreja e do Estado. São Leopoldo: EdUNISINOS, 1986. 157 p.

BOHNEN, Aloysio (coord.); ULLMANN, Reinholdo Aloysio. A atividade dos Jesuítas de São Leopoldo - 1844-1989, São Leopoldo: EdUNISINOS, 1989. 368 p.

BOHNEN, Aloysio (coord.); ULLMANN, Reinholdo Aloysio. Inácio de Loyola - 1491-1991. São Leopoldo: EdUNISINOS, 1991, 272 p.

BOHNEN, Aloysio (coord.); ULLMANN, Reinholdo Aloysio. O solidarismo. São Leopoldo: EdUNISINOS, 1993, 216 p.

BOHNEN, Aloysio (coord.); ULLMANN, Reinholdo Aloysio. A Universidade - das origens à Renascença. São Leopoldo: EdUNISINOS, 1994. 336 p.

 

Artigos:

Uma dezena de artigos do Reitor estão publicados em revistas da UNISINOS, com foco em: discursos de posse, ciência, fé, direito e justiça.

 

 

 

 

DISTINÇÕES RECEBIDAS

-         Título de Cidadão Leopoldense, concedido pela Câmara Municipal de São Leopoldo, em julho de 1989;

-         Título de Colaborador da AD/6, concedido pela 6.ª Divisão de Exército do Comando Militar do Sul, em julho de 1997;

-         Troféu “Cara de São Leopoldo”, recebido pela UNISINOS, na Sociedade Orpheu, em julho de 1995 e em julho de 1996;

-         Prêmio “Destaque em Educação”, concedido pela Revista Rua Grande ao Reitor, em novembro de 1989 (e, à UNISINOS, em novembro de 1993);

-         Prêmio “Destaque na Área de Marketing de Ensino”, concedido à Universidade, pelo PVSinos, em agosto de 1995;

-         Diploma de Colaborador Emérito do Exército, concedido pelo Comando Militar do Sul, em 25 de agosto de 1999;

-         Troféu “Homens de Sucesso”, concedido pela Revista Rua Grande, na Sociedade Orpheu, em São Leopoldo, em 30 de agosto de 1999;

-         Condecoração Paul Harris, concedida pelo Rotary São Leopoldo Leste, na Sociedade Ginástica, em São Leopoldo, em 19 de outubro de 1999;

-         Destaque do Ano, concedido pela Revista Rua Grande, na Sociedade Orpheu, em São Leopoldo, em 5 de novembro de 1999;

-         Destaque do Ano - categoria Ensino Superior, concedido pela Revista Rua Grande, na Sociedade Orpheu, em São Leopoldo, em 9 de novembro de 2001;

-         Dirigente Cristão de 2001, título concedido pela ADCE - Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresas - Regional Porto Alegre;

-         Homenagem do Jornal “A Notícia” a personalidades que contribuíram para o desenvol­vimento da região do Vale do Rio dos Sinos, em 2001, em dezembro de 2001;

-         Prêmio Qualidade RS 2003 - Troféu Bronze (Destaque em Gestão Empresarial), do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), na FIERGS, em Porto Alegre, no dia 10 de julho de 2003;

-         Comenda “Maria Emília de Paula”, concedida pela Câmara Municipal de Vereadores de São Leopoldo, no dia 8 de junho de 2004;

-         Prêmio Qualidade RS 2004 - Troféu Prata (Destaque em Liderança e Gestão de Processos – “Progresso”) do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), na FIERGS, em Porto Alegre, no dia 6 de julho de 2004.

-         Prêmio Qualidade RS 2005 - Troféu Prata (Destaque em Liderança e Gestão de Processos – “Progresso”, Nível II), do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), na FIERGS, em Porto Alegre, no dia 5 de julho de 2005;

-         Título “Cruz do Mérito de 1.ª Classe” (Comenda "Bundesferdienstkreutz"), concedida pelo Presidente da República Federal da Alemanha, Horst Köhler, através do Consulado Geral da Alemanha, em 3 de novembro de 2005;

-         Troféu Destaques do Ano - 2005 da Revista Rua Grande ao Reitor da UNISINOS, em 4 de novembro de 2005.

 

ATUAÇÕES DE DESTAQUE

Pe. Aloysio Bohnen evidencia-se pela sua formação, pela peculiaridade que imprime em todas as suas ações, decorrente de qualificações como: (a) é pessoa de humor refinado; (b) transpira simplicidade, sabedoria, equilíbrio; (c) é ponderado em suas atitudes: reflete muito antes de decidir e dificilmente volta atrás; (d) confia nas pessoas, descentralizando, delegando tarefas; (e) como jesuíta, possui profunda formação filosófica, teológica e espiri­tual; (f) tem como fio condutor de seu agir a concepção genuína de qualidade e inovação em tudo que empreende; (g) é fã incondicional da vida no sentido de usufruir ao máximo de tudo que ela nos prodigaliza.

 

Dentro desse perfil, Pe. Bohnen ostenta uma trajetória marcante de mais de 30 anos na UNISINOS. Essa história apresenta-se em duas faces concomitantes: a de crises, desafios, e a dos empreendimentos, das mudanças, das conquistas.

a) Desafios

Ao assumir a Reitoria da Universidade, em janeiro de 1986, Pe. Bohnen teve que enfrentar um período conturbado de reivindicações salariais, de paralisações e de déficit orçamen­tário, conseqüência, em grande parte, de medidas prejudiciais impostas às instituições particulares de ensino pelo Governo Federal, como foi o caso do congelamento das mensalidades. Nesses momentos de turbulência, o Reitor manteve-se piloto seguro, ponderando e decidindo com discernimento. Houve crises pontuais em:

- 1986: (a) primeira grave crise financeira, que comprometeu a sobrevivência da Insti­tuição; (b) um mês de paralisação dos professores; (c) calendário letivo refeito; (d) O país fervilha com o fim do período militar e com a expectativa ante um novo período de democratização;

- 1987: (a) congelamento do valor da semestralidade; (b) boicote ao recurso de medidas judiciais; (c) política salarial amarrada nos “disparos do gatilho”; (d) dívida de mais de Cz$80 milhões no mês de maio; (e) medidas - soluções buscadas em nível político: (e1) concessão de auxílio de Cz$40 milhões do MEC, a fundo perdido (Reitor foi aos Ministros da Fazenda e da Educação. Este, após o relato feito pelo Pe. Bohnen, exclamou: “Mas vocês estão falidos...!”; (e2) empréstimo de Cz$100 milhões do Banco do Brasil, para pagamento em três anos, com garantias reais: o câmpus foi hipotecado; (f) o ano fechou com um déficit de Cz$124,5 milhões;

- 1988: aceno a um gradual reequilíbrio financeiro, que só dura até 1990;

- 1990: Um dos anos mais difíceis da história da UNISINOS. Como em 1986, houve excessiva intervenção governamental no ensino privado, gerando uma crise financeira que quase provocou o colapso da Universidade: (a) drástica contenção de gastos e ausência de investimentos; (b) insatisfação dos professores e funcionários: defasagem salarial; 3 meses de paralisação dos professores, tendo o semestre letivo se estendido até março de l991; aumento da semestralidade autorizado somente em novembro;

- 2003 (2.º semestre) em diante: A UNISINOS vivencia uma sensível diminuição do número de alunos, decorrente de: (a) proliferação de instituições de ensino superior; (b) queda gradual do poder aquisitivo e crescente desemprego inviabilizam o acesso do estudante à universidade; (c) índice de reajuste anual da semestralidade sequer acompa­nha a inflação real, inviabilizando investimentos e forçando cortes drásticos na infra-estrutura e nos recursos humanos;

b) Inovações, empreendimentos

Apesar das consecutivas crises enfrentadas, principalmente, no período de 1986 a l990, a Reitoria não mediu esforços na busca de alternativas de solução, inovação e empreendi­mentos, sempre orientada e motivada pela figura do Reitor Aloysio Bohnen. Sucintamente, podem-se registrar as seguintes conquistas:

1986 - (a) 16-1-86: 1.º encontro de análise e debate com professores, resultando valiosas sugestões para a 1.ª gestão; (b) instituição do Tempo Contínuo (parcial e integral) para os professores; (c) implantação do Projeto de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino Superior - PADES; (c) montagem do projeto do 1.º Mestrado da UNISINOS, em História; (d) nomeação da Comissão incumbida da alteração do Estatuto e do Regimento da Univer­sidade; (e) concessão do título de Doutor Honoris Causa ao poeta gaúcho Mário de Miranda Quintana; (f) criação de núcleos de pesquisa e pós-graduação nos Centros;

1987 - (a) início do ensino de pós-graduação “stricto sensu”, com o funcionamento do Mestrado em História - Estudos Ibero-Americanos; (b) início de estudos para a implantação do Plano Diretor de Informática - PDI; (c) apresentação de anteprojeto de alteração do Estatuto; (d) prioridade à qualificação docente; (e) criação da Assessoria Econômico-Financeira e início do funcionamento da Divisão de Recursos Humanos;

1988 - (a) aquisição do novo Computador Burrroghs A10; (b) comemoração dos 30 anos do curso de História Natural; (c) implementação de laboratórios; (d) redação do novo Estatuto e seu encaminhamento à Reitoria, para análise; (e) UNISINOS escolhida pela CAPES para sediar o Programa Regional de Especialização de Professores de Ensino Superior – PREPES nos Estados do RS, SC e PR;

1989 - (a) comemoração do 20.º aniversário da Instituição; (b) sugestões ao texto do novo Estatuto, para seu encaminhamento ao Conselho Universitário; (c) promoção de 23 cursos de Especialização; (d) maior inserção da Universidade na comunidade externa (42 novos convênios assinados e criação de dois novos Núcleos); (e) construção de prédio de 1.261m2 para o Centro de Educação e Humanismo; (f) ritmo acelerado na implantação do Plano Diretor de Informática; (g) seminário com as principais chefias docentes, para definição de prioridades para o exercício 1990-1993;

1990 - Ano dos mais difíceis na história da UNISINOS, também foi o ano que oportunizou uma forte conscientização em todos os níveis sobre pontos frágeis da administração da Universidade. Após muita reflexão, o Reitor Aloysio Bohnen decidiu ser aquele o momen­to de pôr um marco divisório na história da UNISINOSpara assegurar sua sobrevivência, em respeito e reconhecimento à instituição, que foi planejada e constituída com muito carinho e persistência por um grupo de denodados jesuítas, com seus primórdios na década de 1950. A decisão foi no sentido de não mais se conviver com antagonismos no seio da Instituição, alimentados por forças políticas e sindicais, por uma inflação galopante, resultando um corpo docente e funcional, no mínimo, desorientado e desengajado. Assim, planejou-se, com a orientação segura do Reitor, uma guinada decisiva na gestão da Instituição para o ano seguinte: convidar, desafiar, envolver e comprometer os professores e funcionários com os destinos da Universidade, através da instituição de um permanente clima de planejamento estratégico. Partiu-se para o fortalecimento e a organização da Casa: a Pró-Reitoria Administrativa passou por uma mudança estrutural, criando-se o Setor de Recursos Humanos e delegando-se maior autonomia às chefias. Um novo Plano de Contas para a contabilidade, mais aberto, permitiu gerar um orçamento mais transparente, e reavaliou-se o Ativo Fixo da Instituição. Para atenuar deficiências de comunicação, criou-se um foro de discussões sobre assuntos administrativos de interesse do quadro funcional. Em dezembro, alunos com dificuldades financeiras foram atendidos individualmente. O texto do novo Estatuto foi aprovado pelo Conselho Universitário e encaminhado ao Conselho Federal de Educação;

1991 – Iniciou-se, formalmente, o processo de planejamento estratégico participativo, envolvendo a Reitoria, um consultor externo e dois convidados (Informações detalhadas do processo de Planejamento Estratégico, especificamente dos anos 1991 a 1999, constam do documento “Missão e Perspectivas – Plano Estratégico 1999-2004”, p. 53-67, que se encontra anexo). Para aperfeiçoar e dinamizar o processo de comunicação interna e externa, foi criada, em outubro, a Assessoria de Comunicação Social, vinculada ao Gabinete do Reitor. Questões pontuais do ano: (a) aprovação do Estatuto pelo Conselho Federal de Educação e sua homologação pelo Ministro da Educação; (b) anteprojeto do Regimento Geral encaminhado à Reitoria; (c) diversas viagens do Reitor ao exterior, como ao Japão, ao Canadá, aos EUA e à Argentina, para contatos e assinaturas de convênios com universidades e outras entidades; (d) ênfase especial à definição das linhas de pesquisa e à aprovação dos respectivos projetos: (e) criação do Mestrado em Geologia; (f) reformulação de diversos currículos e aprovação de novos cursos; (g) início da promoção de cursos semestrais para professores novos, para integrá-los na Universidade; (h) implantação, no segundo semestre, do novo sistema de matrícula dos cursos de graduação; (i) promoção de 245 cursos de extensão, que beneficiaram 6 512 pessoas; (j) fundação da Associação dos Diplomados (Ex-Alunos) da UNISINOS – ADISINOS; (k) início da construção da última etapa do prédio do Centro Comunitário;

1992 – (a) grande impulso na informatização da Universidade (instalação de 324 micros e 90 impressoras); (b) construção de 3 086m2 no Centro Comunitário e continuidade da cons­trução do Anfiteatro Pe. Werner; (c) criação, na Pró-Reitoria Administrativa, de três Supe­rintendências: Econômico-Financeira, de Recursos Humanos e do Câmpus; (d) implantação do sistema de orçamento setorial; (e) na área de Recursos Humanos: reavaliação de cargos e salários do pessoal técnico-administrativo; alfabetização de funcionários adultos; estudos para funcionamento de uma Cooperativa de Saúde para professores e funcionários; aperfei­çoamento de professores e admissão de Mestres e Doutores; (f) criação e instalação da Coordenação Pedagógica, na Pró-Reitoria de Graduação; (g) consolidação do Programa de Institucionalização da Pesquisa, com a implementação total do Banco de Dados e do Sistema de Contabilidade de Custos; (h) aprimoramento e intensificação das atividades de extensão; (i) efetivação de 12 810 atendimentos à população carente da região através da assistência comunitária; (j) viagens do Reitor, para busca de parcerias, aos Estados Unidos, à Europa e a países da América Latina; (k) visita do Superior Geral da Companhia de Jesus à UNISINOS;

1993 – (a) Com a criação do grupo “PLANEST”, foi elaborado o plano global, com assessoria externa, resultando o documento “Missão e Perspectivas – 1994 – 2003”, publicado em janeiro de 1994; (b) ponto forte na informatização: instalação de 372 micros e 114 impres­soras; (c) conclusão da construção do Anfiteatro Pe. Werner, com 1 500m2 e capacidade para 713 pessoas sentadas; (d) criação da Editora UNISINOS; (e) instalação da Fundação Universitária para o Desenvolvimento do Ensino e da Pesquisa – FUNDEPE, para custeio de bolsas de estudo por empresas; (f) implantação do curso de graduação em Engenharia Elétrica; (g) consolidação da metodologia contábil e de custos; (h) conclusão do Plano de Cargos e Salários; (i) promoção do primeiro curso MBA – Executivo/Gestão Empresarial;

1994 – (a) início da implantação do Plano Institucional, através da elaboração dos planos táticos para os projetos estratégicos priorizados; (b) comemoração dos 25 anos da UNISI­NOS: inauguração do Anfiteatro Pe. Werner e da pista atlética (na época, uma das melhores do mundo); encerramento, em dezembro, com o evento “Sinos de Natal”, com a presença de 7 000 pessoas; (c) maior integração das atividades e Ensino, Pesquisa e Extensão, com crescente inserção na comunidade; (d) implantação dos cursos de Mestrado em Semiótica e Educação; (e) produção científica: conclusão de 20 projetos de pesquisa e 249 em anda­mento; 371 publicações; (f) ampliação dos programas de integração na extensão (estágios, oxigenação de cursos e qualidade de vida): 379 cursos para 16 117 pessoas e 2 831 alunos beneficiados com bolsas de estudo; (g) implantação da Contabilidade Gerencial; (h) continuação do processo de informatização, com 259 equipamentos instalados, além da instalação da rede Internet; (i) enriquecimento do acervo da Biblioteca através da doação e aquisição de 18 000 livros;

1995 – (a) início dos Planejamentos Operacionais, a cargo da administração dos Centros e das Pró-Reitorias; implantação da nova estrutura nos Centros, proporcionando mais agilida­de nas decisões e maior integração da equipe gerencial com as coordenações de curso (ex­tinção dos Departamentos); (b) significativo avanço na qualificação docente: grande número de bolsas concedidas para a qualificação dos professores; em decorrência, aumento do número de mestres e doutores; (c) aprovada a nova estrutura do 1.º Ciclo e deflagrado o processo de revisão curricular; (d) promoção de 444 eventos de extensão, atingindo 23 371 pessoas; (e) criação oficial do Instituto de Línguas – UNILÍNGUAS; (f) construção de 5 150m2 de prédios; (g) honrosa visita do Presidente da República Federal da Alemanha, Dr. Roman Herzog;

1996 – (a) implantação do processo de coleta de dados da Avaliação da Graduação em consonância com os princípios e as dimensões que orientam o Projeto de Avaliação Institu­cional; realização de seminários para análise e articulação dos conceitos de Planejamento, Avaliação e Qualidade; (b) porcentagem de doutores e mestres subiu de 33% para 40%, e a de graduados diminuiu de 20% para 13%; (c) implantação do projeto “Fortalecimento das Coordenações de Curso”; (d) implantação do Mestrado em Administração e do Doutorado em História, e aprovação do projeto do Mestrado em Direito; (e) ênfase à qualidade dos projetos de pesquisa; (f) promoção de 859 eventos de extensão, beneficiando 38 705 participantes; (g) aprovação e implantação do Novo Plano de Carreira para o Corpo Docente e do Novo Plano de Benefícios Previdenciários da UNISINOS (aposentadoria complementar); (h) terceirização da cobrança de débitos; (i) conclusão de ampliações do Centro de Ciências Tecnológicas e do Complexo Desportivo, num total de 3 716m2;

1997 – (a) início do processo de avaliação e reformulação do Plano Estratégico global. A análise de cenários, a identificação das oportunidades, a reflexão sobre os pontos fortes do ambiente interno orientaram a nova formatação do Plano; (b) implantação: do Módulo 3 (com aprovação geral), que reduziu de 4 para 3 o número de horas-aula por turno e aumentou o semestre de 15 para 20 semanas; do novo sistema de avaliação da aprendi­zagem, ambos aprovados em 1996; (c) fortalecimento dos Coordenadores de Curso: maior carga horária, assessoramento pedagógico especial e promoção do Curso de Formação de Gestores; (d) além de um Doutorado e de seis Mestrados, desenvolvimento de 36 cursos de Especialização; (e) continuidade ao Programa de Qualificação Docente, com significativo aumento de mestres e doutores; (f) desenvolvimento de 370 projetos de pesquisa, entre concluídos e em desenvolvimento; (g) promoção de 958 eventos de extensão, com a participação de 38 260 pessoas: (h) instalação de 996 micros 16 bits Pentium, 26 impressoras laser e 7 scanners; (i) acervo da Biblioteca enriquecido com a aquisição de    20 426 livros novos e 60 assinaturas de periódicos, além de 258 593 empréstimos, cujo sistema foi automatizado; (j) melhoria de atendimento à comunidade universitária em assistência social e à saúde; (k) construção de 5 220m2 de prédios, principalmente para cursos de Mestrado; (l) financiamento, através do MEC/BNDES, de 27,5 milhões de reais do Programa de Modernização e Qualificação do Ensino Superior, 13,5 milhões dos quais destinados ao prédio da nova Biblioteca, cuja construção iniciaria em 1998;

1998 – (a) continuidade do processo de revisão do Plano Estratégico: pesquisa junto aos alunos formandos para análise e revisão dos cursos de graduação; reconstituição do grupo PLANEST, que assumiu a responsabilidade de acompanhar os resultados dos 11 seminários ocorridos; definição das opções estratégicas, dos objetivos estratégicos e dos indicadores institucionais prioritários para o período de 1999 a 2004; (b) professores com bolsa da pós-graduação: 69 para Mestrado e 61 para Doutorado; (c) início ao processo de revisão curricular, atendendo determinação da LDB; (d) implementação em recursos tecnológicos, com ênfase ao ensino a distância; (e) aprovação, pela Universidade, do Mestrado em Ciências Contábeis, do Mestrado e Doutorado em Ciências Sociais Aplicadas e dos Doutorados em Direito, em Comunicação e em Geologia; (e) redefinição do fluxograma geral da pesquisa; (f) criação, junto à Universidade, do Pólo de Informática em São Leopoldo, em parceria com o município de São Leopoldo e Secretaria do Estado; (g) promoção de 971 eventos de extensão, atingindo 39 645 participantes; (h) construção de   18 300m2 de prédios, em decorrência de financiamento feito junto ao BNDES em 1997; (i) melhoria de acesso à Universidade com a nova opção de transporte da TRENSURB desde Porto Alegre e a integração entre a Estação Unisinos e o Câmpus, esta proporcionada gratuitamente pela Universidade;

1999 – (a) identificação e seleção das 25 prioridades e sua explicitação em ações e projetos integrados, com a implementação dos seguintes: realização da pesquisa de Clima Organizacional, desenvolvimento da etapa do planejamento estratégico sobre Educação a Distância e implantação do Complexo de Teledifusão e Tecnologia Educacional (TV UNISINOS); (b) comemoração do 30.º Aniversário da Universidade, com destaque para a concessão do Título de “Doutor Honoris Causa” a Dom Frei Boaventura Kloppenburg, OFM, teólogo e escritor de renome e Bispo Emérito da diocese de Novo Hamburgo, RS, e ao Pe. Arthur José Rabuske, S. J., pesquisador e historiador, cuja obra focaliza a imigração alemã no Rio Grande do Sul e as atividades dos jesuítas; (c) continuidade do Planejamento Estratégico: aprovação da versão final para mais um período de cinco anos, com o título: “Missão e Perspectivas – Planejamento Estratégico 1999-2004”; (d) criação da Câmara de Graduação e da Câmara de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão como instâncias do Conselho Universitário; (e) revisão e implantação dos novos currículos, em conformidade com exigências da LDB; (f) registro do maior número de vestibulandos no Processo de Seleção (Vestibular) de Verão: 10 308 candidatos; (g) 474 projetos de pesquisa em andamento, 50 dos quais concluídos no ano; (h) 60% do corpo docente com Mestrado e Doutorado, 129 beneficiados em bolsa; (i) funcionamento, no ano: 45 cursos de Espe­cialização (1 235 alunos), 10 Programas de Mestrado e 6 de Doutorado; (j) na área de Recursos Humanos: aplicação de pesquisa sobre Clima Organizacional, para conhecer a avaliação e as expectativas dos professores e funcionários; 1.ª edição do Programa de Desenvolvimento de Gestores; concessão de bolsas de estudo para Mestrado também para integrantes do corpo técnico-administrativo; (k) consolidação do Escritório de Gestão e Tecnologia, criado em 1998, para disseminação de novas tecnologias no mercado (realizados 1 140 eventos e atividades, com a participação de 65 000 pessoas); (l) instituição do Projeto “Viva São Leopoldo”, tendo como Instituidores o Grupo Editorial Sinos, a Prefeitura Municipal de São Leopoldo, a ACIS/SL e a UNISINOS, para mobilizar as forças vivas da comunidade; (m) criação, pela UNISINOS, dentro do Pólo de Informática em São Leopoldo, da Unidade de Desenvolvimento Tecnológico – Unitec, onde foram instaladas, até o final de 1999, as cinco primeiras empresas incubadas; (n) ritmo acelerado de construções, resultante do financiamento feito junto ao BNDES, em 1997: conclusão de aproximadamente 40 000m2, com destaque para o novo prédio da Biblioteca, de 37 000m2, inaugurado em 10 de dezembro, data do 30º aniversário da UNISINOS; (o) implantação do Complexo de Teledifusão e Tecnologia Educacional, com destaque para a criação da TV UNISINOS, além do Programa Gênesis; instalação de 563 novos micros Pentium;

2000 – (a) identificação, revisão e sistematização dos indicadores institucionais, priori­zando-se, a longo prazo, os seguintes focos: qualificação da gestão, funções estratégicas da área de Marketing; formação humanística de orientação cristã para professores e gestores; alianças estratégicas; prospectiva e inovação; vivência e ação comunitárias; funções estratégicas do aproveitamento do potencial do Câmpus; desenvolvimento regional; projeto pedagógico futuro; (b) prosseguimento das comemorações do 30.º Aniversário da Universi­dade, que culminaram no dia 28 de julho, com a inauguração da nova Biblioteca, total­mente informatizada, num prédio de 37 000m2 e com um acervo de mais de 600 000 volumes; (c) processo de avaliação institucional: caracterização dos candidatos aprovados no Processo de Seleção; coleta de dados junto aos formandos; pesquisa de satisfação dos alunos e professores com relação às disciplinas, à biblioteca e aos laboratórios; (d) A instituição de duas Câmaras no Conselho Universitário propiciou melhor estruturação dos processos, facilitando sua análise; (e) ênfase à revisão curricular e à caracterização das disciplinas dos diversos cursos; (f) trabalho de conscientização junto aos professores para a disseminação dos princípios da Pedagogia Inaciana: (g) continuidade de estudos sobre cursos seqüenciais e educação a distância; (h) desenvolvimento do projeto “Repensando a Especialização”; i) trabalho intenso junto ao MEC para o credenciamento dos Mestrados e Doutorados criados pela Universidade (12 Mestrados e 7 Doutorados); (j) expansão e diversificação dos projetos de pesquisa, que atingiram um total de 540; consolidação do Manual da Pesquisa e modernização do sistema de registro da produção intelectual e do sistema de gestão de projetos; destaque do “Exponha-se 2000 – Semana de Pesquisa e Iniciação Científica”, com 1 215 publicações; (k) promoção de cursos de treinamento e desenvolvimento de funcionários: 2 044 participações, perfazendo 55 285 horas; (l) inserção e intervenção social na comunidade externa: realização de mais de 1 000 eventos de extensão, com a participação de mais de 60 000 pessoas; (m) participação ativa no Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade – PGQP, no qual o Reitor, além de Membro do Conselho Superior da Associação Qualidade RS desde 1998, passou a coordenar o Comitê Universidades; (n) instalação de mais três empresas incubadas na Unidade de Desenvolvimento Tecnológico – Unitec, totalizando oito; (o) reestruturação da Pastoral da Universidade, com nova redação da sua Missão e vinculação com o Centro de Ciências Humanas; (p) área total construída do Câmpus atingiu 190 000m2 com recursos do MEC/BNDES (empréstimo); (q) construção de novo acesso ao Câmpus, pelo lado leste, e consolidação da operação da Linha Circular entre a Estação Unisinos da TRENSURB e o Câmpus; (r) instalação oficial da Auditoria Interna; (s) início oficial de operação da TV UNISINOS em circuito interno;

2001 – (a) adoção de nove direções principais: qualificação e efetividade da gestão; estruturação e orientação estratégica para a área de Marketing institucional; extensão do projeto de Formação Humanística de Orientação Social-Cristã; incremento de alianças para cooperação e intercâmbio acadêmicos; criação de projetos inovadores; fortalecimento do vínculo e relacionamento com a comunidade acadêmica; otimização da capacidade insta­lada do Câmpus; aperfeiçoamento ou consolidação da competência interna para a partici­pação em projetos de desenvolvimento e integração regional; institucionalização do Progra­ma Gênesis e desenvolvimento de práticas de gestão da inovação no processo de ensino-aprendizagem presencial e a distância; (b) implantação dos currículos de graduação reformulados em 2000; (c) concessão, pela CAPES, da nota 5 para os Programas Stricto Sensu em Ciências da Comunicação e Direito, e recomendação de novos programas, passando a UNISINOS a ter cinco Doutorados e nove Mestrados; (d) implantação do sistema UNILATTES (coleta e cadastramento da produção científica), do CNPq; signifi­cativo aumento de projetos de pesquisa e da produção bibliográfica; (e) definição e homologação das linhas de interesse social na Extensão; (f) ampliação dos projetos sociais e fortalecimento das relações com o mercado; (g) promoção de 1 335 eventos de extensão (69 000 participantes) e de 47 programas de ação comunitária (80 000 pessoas atendidas); (h) área administrativa: mudanças estruturais; redução da folha de pagamento e do ritmo de investimentos (principalmente nas construções); início do projeto de otimização da exploração dos recursos potenciais do Câmpus; maior transparência das informações orçamentárias; início do projeto de criação de um Comitê Diretor de Tecnologia da Infor­mação; maior aproximação com a Mantenedora para unificação de procedimentos administrativos;

2002 – (a) qualificação do processo de Planejamento Estratégico a partir da explicitação do escopo estratégico, da redefinição da metodologia do processo de planejamento estratégico, da proposição de novos critérios para a composição dos grupos de trabalho e do estabelecimento de metas e prazos muito ajustados, com vistas a maior nível de inovação e agilidade, quando da conversão de idéias em fatores de desenvolvimento e diferenciação organizacional; (b) três princípios norteadores passam a incorporar todas as ações da UNISINOS: Educação por Toda a Vida, Transdisciplinaridade e Compromisso com o Desenvolvimento Regional; (c) lançamento, em setembro, do Reposicionamento Estraté­gico da Universidade à comunidade interna e externa – comprometimento da Instituição em utilizar plenamente o potencial de seu Câmpus, com abertura a parcerias que promovam o desenvolvimento regional; (d) criação da Área de Negócios, com a tarefa de desenvolver iniciativas do Movimento Unicidade, de buscar e selecionar parceiros para essa tarefa; (e) crescente demanda de pesquisa e de novos cursos e laboratórios; (f) disponibilização de recursos tecnológicos; (g) aprovação de três cursos de Graduação de Referência com uma proposta pedagógica inovadora, organizados por Programas de Aprendizagem - PAs; (h) premiação de cursos de Graduação pelo MEC: 5 conceitos A, 7 conceitos B e 5 conceitos C; (i) Programas de Pós-Graduação plenamente aprovados pela CAPES; (j) implementação da pesquisa com o acréscimo de 43 novos projetos; (k) priorização de compromissos: definição do escopo estratégico e sua divulgação; criação do Comitê Executivo do Planest; atuação dos grupos do Planest; Diretoria de Comunicação Social e Marketing voltada aos resultados dos projetos estratégicos; orientação e acompanhamento da testagem da plataforma Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA; consolidação da TV UNISINOS; (l) integração da Extensão ao ensino e à pesquisa, com foco nas necessidades da sociedade;

2003 – (a) nova forma de focalização e agregação dos temas, para uma maior capacidade institucional de concretizar o escopo estratégico, resultando a adoção de três Programas Estratégicos (Educação por Toda a Vida, Transdisciplinaridade e Desenvolvimento Regio­nal); dos Projetos Gestão e Competências, Marketing, Câmpus, Mídias Integradoras e Captação de Recursos, além de um conjunto de premissas, objetivos e metas; (b) anúncio de uma nova fase organizacional da Instituição a partir de 7 de novembro, com opção pelo modelo institucional matricial de estrutura e gestão: nova composição da Reitoria, extinção dos Centros de ensino, pesquisa e extensão e criação de quatro Unidades Acadêmicas e de três Unidade de Apoio, a ser implantada em janeiro de 2004; (c) contratação de um sistema integrado de gestão, o Enterprise Resource Planning – ERP2 (Projeto Sinergia), da PeopleSoft, que integrará todos os sistemas administrativos e de gestão acadêmica, para maior rapidez, flexibilidade e confiabilidade dos dados e das informações, a um custo menor; (d) consolidação da sistemática da investigação científica e das atividades acadêmicas, encerrando-se o ano com a implantação de quatro novos cursos de graduação organizados por Programas de Aprendizagem, um Curso Superior de Formação Específica (seqüencial) e 13 Programas de Pós-Graduação stricto sensu plenamente aprovados pela CAPES ao longo do tempo; (e) creden­ciamento dado pelo MEC para a UNISINOS ofertar cursos de Especialização a distância e aprovação imediata de dois cursos; (f) procedimento pioneiro: entrega do Diploma de graduação no ato da formatura; (g) promoção de 1 153 eventos de extensão, do Salão de Intercâmbio (15 000 visitantes) e 1 854 convênios de estágio em andamento; (h) comemoração dos 50 anos de criação do curso de Filosofia (anterior à criação da Universidade); (i) TV UNISINOS passou a atuar em sistema aberto, através do Canal 30 UHF;

2004 – (a) implantação da nova estrutura organizacional anunciada em 7-11-2003 e início do processo de revisão do Estatuto da Universidade; (b) adoção da ferramenta do Balanced Scorecard - BSC como mecanismo de tradução e detalhamento das escolhas estratégicas em um conjunto de objetivos relacionados a cinco perspectivas: do cumprimento da Missão; de criação de valores para alunos e organizações; de resultados financeiros; de processos internos; de aprendizado organizacional. Em outubro, mais de 600 colaboradores participa­ram do “Lançamento do Mapa Estratégico 2004/2005”. Após o evento, as Unidades Acadêmicas e de Apoio apresentaram programas/projetos e planos de ação, relacionados aos objetivos priorizados, para compor o orçamento de investimentos; (b) A natural insegurança de professores e funcionários ante a nova estrutura em implantação, aos poucos, foi dando lugar ao compartilhamento de responsabilidades pelo planejamento e pela organização de ações para o funcionamento da Universidade; (c) oferta do Curso Superior de Formação Específica em Gastronomia; (d) criação dos primeiros três Cursos Superiores de Tecnologia; (e) continuação da aposta no modelo educacional inovador, organizado por Programas de Aprendizagem – PAs; (e) definição de linhas de pesquisa prioritárias; qualificação da atividade de pesquisa e da produção científica; consolidação dos Programas de Pós-Graduação; (f) aprovação dos projetos político-pedagógicos para os cursos de Licenciatura, de Comunicação Social e de Administração; (g) descentralização orçamentária; (h) criação da Diretoria de Ação Social e Filantropia; (h) ampliação do número de bolsas de estudo para alunos carentes; (i) ampliação de parcerias, gerenciadas pelo Movimento Unicidade, com a adesão do Banco Santander S/A como primeiro parceiro conceitual da Universidade; (j) atração da empresa Softek para o Pólo de Informática em São Leopoldo, instalado junto à UNISINOS; (k) realização, de parte de empresas externas, de 35 ações promocionais de espaços do Câmpus para oferta de produtos e serviços aos alunos; (l) obtenção do Certificado ISO 14001 de Gestão Ambiental, tendo a UNISINOS sido a primeira universidade na América Latina a receber tal certificação e a 5.ª no mundo; (m) aprovação de dois projetos, em parceria com a Fundação Pe. Urbano Thiesen, na área de TV Digital, pelo Ministério das Comunicações/FINEP/CPqD; (n) bons resultados na avaliação dos Programas de Pós-Graduação pela CAPES;

2005 –desdobramento do Plano Estratégico: implantação de ciclos de reuniões estratégicas (mensais, trimestrais e anual).

 

 

O REITOR “EXTRA MUROS”

 

A partir do relato de fatos e feitos de duas décadas da gestão “Bohnen”, pode-se inferir que a UNISINOS, especialmente a partir de 1990, acumulou significativa experiência, qualificação, desenvoltura e empreendedorismo, graças à convicção e determinação do Prof. Aloysio Bohnen de em tudo incutir uma atitude de reflexão, planejamento e inovação. Isso é tão evidente, a ponto de se perceber que a Universidade não pára mais de “se estudar”, tendo por vitrine o mundo.

 

Sempre foi bandeira do Reitor a busca persistente pela formação integral da pessoa como ente biológico, social, profissional, político, psicológico, emotivo etc. Essa dimensão transpõe a sala de aula e se insere e concretiza no social, onde cada cidadão tem a incumbência de contribuir para o bem comum.

 

É exatamente nessa função da UNIVERSIDADE (universalidade) de contribuir com o desenvolvimento da sociedade, em seus mais variados segmentos, que o Reitor sempre teve mente e olhar atentos. Constitui uma vocação que vem conduzindo a UNISINOS desde sua criação. Resumidamente, segue um elenco de atuações marcantes da Instituição de cunho regional e nacional, mescladas com a figura do Reitor:

 

* Ação Social e Filantropia – É um caminho que iniciou com a Universidade, princi­palmente na área da Ação Comunitária, com o envolvimento de professores e alunos na orientação e constituição de comunidades carentes no sentido de se conscientizarem e de construírem sua cidadania, resultando experiências, pesquisas e trabalhos acadêmicos que retroalimentam os próprios cursos da Universidade, numa atuação inter- e transdisciplinar.

 

* Vale ressaltar a opção e sustentação do Reitor em favor dos cursos de Licenciatura, promovendo uma renovação pedagógica e sustentando-os com Bolsa-Licenciatura, numa atitude clara de prover a formação de professores qualificados para o Ensino Fundamental.

 

* Marca consagrada da UNISINOS constitui sua contribuição no campo da Cultura, através da qual brinda a comunidade universitária e externa com programas e eventos gratuitos, com destaque para a Orquestra UNISINOS e o projeto “Sempre às Terças” (espetáculos com alta performance), do “Sinos de Natal”, além da manutenção de um Movimento Coral desdobrado em cinco modalidades. No sentido de prover a comunidade universitária com um ambiente e acervo bibliográfico adequados em curto prazo de tempo, o Reitor aceitou o desafio e obteve financiamento do BNDES, através de Programa do MEC, para a construção da nova Biblioteca, cuja construção iniciou em 1998, tendo ela sido inaugurada em 28-7-2000, dentro das comemorações do 30.º Aniversário da Universidade, num prédio de 37 000m2, totalmente informatizada e com um acervo de mais de 600 000 volumes.

 

* Sem restrição a partidos, o Reitor defende a convicção da Universidade de manter parcerias com órgãos públicos para assessorá-los em ações de desenvolvimento social, notadamente para salvaguardar a continuidade de programas de secretarias e de outras entidades, cujas atividades são quase sempre afetadas pela alternância de gestões políticas. Como exemplo, o ano de 2004 fechou com o registro de convênios firmados com 90 hospitais do Rio Grande do Sul. Parceiro já tradicional da UNISINOS, o CIEE – Centro de Integração Empresa-Escola intermedeia a realização de estágios em empresas para alunos da UNISINOS. Por sua vez, a Universidade, através da Central de Estágios, totalizou 1 005 convênios de estágios firmados em empresas em 2004.

 

* Registro especial cabe à visão empreendedora do Reitor quando, em janeiro de 1995, integrou uma comitiva formada pelo então Prefeito de Porto Alegre, Tarso Genro, pelo Reitor da UFRGS, Hélgio Trindade, e pelo Reitor da PUCRS, Ir. Norberto F. Rauch, que visitaram França e Portugal numa “Missão de Estudos sobre Tecnópoles”. Dessa viagem resultaram a solidificação do Projeto Porto Alegre Tecnópole e a criação, em 31-10-1997, do Pólo de Informática em São Leopoldo junto à UNISINOS, numa parceria entre a Universidade (que administra o Pólo), a Prefeitura Municipal de São Leopoldo e a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia.

 

* Numa atuação de parceria mais direta com o Governo do Estado, o Reitor exerce o cargo de Presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Ro dos Sinos – CONSINOS desde julho de 2002, além de ter exercido gestões anteriores, desde a criação do CONSINOS, de 1994 a 1997. Mesmo quando o Reitor não exerceu a presidência, a secretaria desse Conselho continuou a ser prestada pela UNISINOS. O CONSINOS é um dos órgãos representativos criados pelo Governo estadual, por região, os COREDES – Conselhos Regionais de Desenvolvimento, que agregam prefeitos e a comunidade no levantamento, na priorização e solução viável e descentralizada de problemas e implementações sociais.

 

* Com uma circunspecção e um carinho todo especiais, Pe. Bohnen, escudado em sua formação em Ciências Sociais e Ciências Econômicas, além da Filosofia e Teologia, sempre se sentiu inclinado e “antenado” às questões que envolvem de perto os destinos deste País. Ciente, no entanto, de sua formação religiosa, de jesuíta, descarta qualquer conotação frontalmente política em suas manifestações. Estas manifestações são sempre uma “radiografia” da realidade do que foi, do que é e do que se espera, com fundamentação moral e histórica, nutrida por uma memória invejável.

 

Esse perfil lhe granjeia admiração em todas as esferas da sociedade onde ele percebe, com humildade e lucidez, que pode transitar com real possibilidade de ser útil. Esse jeito de ser se concretiza desde um cumprimento fraternal a uma funcionária que serve o cafezinho, desde uma visita a um familiar, desde uma conversa “jogada fora” com amigos, até o cumprimento ou abraço a personalidades, em cujo elenco não escapa um amigo especial por reciprocidade, o empresário Jorge Gerdau Johannpeter, que faz questão de lhe assegurar assento à mesa oficial de qualquer evento a que o Reitor Aloysio Bohnen comparece no meio empresarial.

 

Desde 2003, o Reitor Aloysio Bohnen é Membro do Conselho das Partes Interessadas do Movimento Brasil Competitivo – ConPI/MBC, sediado em Brasília, no qual representa a área Educação, sendo a UNISINOS a primeira universidade a fazer parte do Movimento. O MBC, organização reconhecida pelo Governo Federal, voltada ao estímulo e ao fomento da competitividade da sociedade brasileira, é integrado por Ministérios do Governo e por Lideranças Empresariais, nas quais se destaca o empresário Jorge Gerdau Johannpeter como Presidente Fundador. O ConPI/MBC substitui o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade, lançado pelo Governo Federal em 1992.

 

A partir do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade, os Estados lançam seus próprios Programas. No Rio Grande do Sul, por iniciativa do Governador Alceu Collares, ao final de 1993, é lançado o Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade – PGQP, que logo conta com a destacada liderança do empresário Jorge Gerdau Johanpeter. Por vários anos, as primeiras reuniões trimestrais realizaram-se na UNISINOS. Na abertura da primeira delas, à mesa oficial com Jorge Gerdau Johannpeter e outras autoridades, Pe. Bohnen, em pronunciamento, ressaltou a importância do ser humano na qualidade, o que fez com que os empresários e executivos de empresas presentes ficassem profundamente impressionados. Desde 1998, Pe. Aloysio Bohnen é Membro do Conselho Superior da Associação Qualidade RS, do PGQP, além de Presidente do Comitê Universidades. A partir de dezembro de 2004, é Vice-Presidente do Conselho.

 

O Reitor Aloysio Bohnen é ainda Membro do Conselho Deliberativo da ONG “Parceiros Voluntários”, sediada em Porto Alegre, participando de suas reuniões, normalmente como palestrante.

 

* Reflexo também da preocupação do Reitor com a qualidade, que tem muito a ver com a questão do meio ambiente, a UNISINOS, em 2004, através de seu Projeto Verde Câmpus, trabalhou prioritariamente na busca da Certificação Ambiental ISO 14001, objetivo que alcançou em l.º de dezembro, tornando-se a primeira universidade na América Latina a conseguir tal certificação e o 5.º câmpus certificado com a ISO 1401 no mundo.

 

Ao abrigo da admiração de que desfruta, mas da qual descarta qualquer chance de se ufanar, e a par de suas incumbências como religioso e Reitor da UNISINOS, Pe. Bohnen reserva momentos especiais para falas e palestras que profere sempre “ex corde”. Digamos que o tempo que ele dedica à reflexão, à leitura, à aquisição do saber cerceia o tempo que despenderia na transcrição desse cabedal de erudição. Responsáveis por eventos envidam todos os esforços para gravar e transcrever seus pronunciamentos, sempre receosos de não poderem cumprir a tarefa a contento diante dos aplausos dos quais o Reitor é alvo sempre. Suas palavras são medidas certas para qualquer parâmetro da vida, desde que entendidas corretamente.

 

Este é o perfil do Pe. Aloysio Bohnen, que compartilha 20 anos de Reitor dos 36 anos de existência da UNISINOS, fato que ele registra como um privilégio ante as rudezas e desafios que tiveram seus predecessores.

 

Da lousa ao laptop, do lampião a querosene à luz fluorescente, do cavalo ao automóvel, da “maria-fumaça” ao avião, do telégrafo ao celular: esta é a geração do Pe. Bohnen que, sem dúvida, acompanhou o período de acontecimentos, mudanças e inovações de maior impacto que a humanidade já vivenciou. Para ele, viver é assimilar, é sorver a vida com simplicidade e sabedoria. Isso requer retidão, competência e leitura constante do dia-a-dia. Qualidade, para ele, não rima com sofisticação; é uma questão de atitude, de fazer bem tudo o que se engendra, em benefício da coletividade.

 

São Leopoldo, 13 de setembro de 2005.

  

David Vier

Secretário do Reitor da UNISINOS



Comentários

deslogado
lili anna 04/09/2017, às 12:27

it’s absolutely gorgeous mts videos player Software 4k mts converter Software mts files Software mts converter free download to convert HD camcorder files mts to mp4, mts to avi, mts to mov


  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2019 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia

Publicidade