Colunistas

10/09/2014

Ospa vai a Santa Cruz do Sul e a Campo Bom

Próximos concertos do projeto Ospa pelos Caminhos do Rio Grande serão nos dias 15 e 16 de setembro. Apresentações com entrada franca terão obras de compositores como Mozart, Beethoven, Strauss I e Strauss II


A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre estará em Santa Cruz do Sul, na segunda-feira (15/9), e em Campo Bom na terça (16/9), apresentando concertos com entrada franca, em homenagem aos 190 anos da Imigração Alemã no Brasil. Os espetáculos integram a temporada Ospa pelos Caminhos do Rio Grande - financiado pelo sistema Pró-Cultura, da Secretaria de Estado da Cultura do RS, com patrocínio de Favorit e Petrobras. Os dois concertos têm o mesmo programa, serão regidos pelo maestro Manfredo Schmiedt  e terão solo de Samuel Rodrigues de Oliveira, ao clarinete. 

espetáculo inicia com a execução de Concerto para Clarinete e Orquestra em Lá Maior, K. 622, de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791). Trata-se do último concerto composto pelo compositor austríaco. A obra terá solo de Samuel Rodrigues de Oliveira, que ocupa o cargo de Primeiro Clarinete da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. 

Em seguida, a orquestra apresenta Sinfonia No. 5 em dó menor, Op. 67de Ludwig van Beethoven (1771-1827). A obra se tornou um monumento da música ocidental, amplamente conhecida, em especial por seu famoso motivo inicial. Mais que em qualquer outra música, nela se coloca uma questão típica do pensamento do século XIX, e especialmente trabalhada por Beethoven à época: o combate do homem livre contra o Destino e sua comunhão com a Natureza. 

A próxima peça é a Abertura da aclamada opereta “Die Fledermausde Johann Strauss II (1825-1899), filho de Johann Strauss (1804-1849). O concerto se encerra com Marcha Radetzky, Op. 228, de Strauss pai (1804-1849)  o maior compositor de música de dança de sua época. Durante as Revoluções de 1848 na Europa, Johann I e Johann II posicionavam-se em lados opostos. Enquanto o filho ficava do lado dos estudantes e revolucionários contra a autocracia do chanceler Klemens Wenzel von Metternich, o pai apoiava abertamente a ordem estabelecida. O principal testemunho da simpatia de Johann I pelo imperialismo é sua Marcha Radetzky, Op. 228, que foi dedicada ao marechal austríaco Joseph Radetzky von Radetz e ao exército de seu país. Foi composta em 1848, e tornou-se uma das obras mais famosas da carreira do músico. 

Regente: Manfredo Schmiedt  

Manfredo Schmiedt atualmente é o regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e do Coro Sinfônico da Ospa. Mestre em Regência pela Universidade da Geórgia (EUA) e graduado na mesma área pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), participou de cursos de  regência na Alemanha, Holanda, Argentina, Estados Unidos e Brasil. Estudou com renomados maestros como Eleazar de Carvalho, Roberto Duarte, Ernani Aguiar, Arlindo Teixeira, Hans van Homberg, Helmut Rilling, Jean Fournet, Mark Cedel, Melinda O’Neal e Yoel Levi. 

Em virtude de seu destacado desempenho acadêmico recebeu duas importantes condecorações nos Estados Unidos: Pi Kappa Lambda Music Honor Society e Director’s  Excellence Award. Foi regente convidado no High School Workshop promovido pela Universidade da Geórgia. Obteve, em duas oportunidades, o primeiro lugar no Concurso Jovens Regentes promovido pela Ospa. Em sua experiência como regente de coros, destacam-se seus trabalhos com o Coro Sinfônico da Ospa, Coral 25 de Julho de Porto Alegre e Coro de Câmara Ars Vocalis. Foi, durante dois anos, regente assistente da Orquestra Sinfônica da Universidade da Geórgia (EUA) e, durante quatro anos, assistente do maestro Isaac Karabtchevsky na Ospa. 

Como regente convidado tem atuado à frente das seguintes orquestras: Orquestra Sinfônica do SODRE, Orquestra Filarmônica de Mendoza, Orquestra Sinfônica Provincial de Rosário, Orquestra Sinfônica da Universidade Nacional de San Juan, Orquestra Petrobrás Sinfônica, Orquestra da USP, Orquestra Filarmônica de São Caetano do Sul, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, Orquestra de Câmara da Ulbra, Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, Orquestra de Câmara SESI-Fundarte, Orquestra Filarmônica de Belgrado, Orquestra Sinfônica da Radio y Televisão e Albany Symphony Orchestra. 

Solista: Samuel Rodrigues de Oliveira 

Iniciou seus estudos de música aos nove anos de idade. Concluiu o Curso Técnico em Música e o Bacharelado em música pela Escola de Música da Universidade Federal de Goiás. Participou de masterclasses e cursos com Wenzel Fuchs, Michel ArrignonAlois Brandhofer, François BendaAndre KerverGarrick ZoeterMaurita Meed, D. Ray McClellan, Elza Ludewig-Verdehr, José Botelho, Mauricio Loureiro e Jorge Levin, entre outros professores. 

Estudou em curso de aperfeiçoamento como bolsista da Fundação VITAE na Academia de Música Ferenc Liszt de Budapeste (Hungria), tendo aulas com Kovács Béla e Sótmari Zsolt. Junto a grupos de música de câmara participou de concertos em várias cidades da Hungria e Romênia. Participou da Orquestra Sinfônica da Academia Ferenc Liszt e também atuou como músico convidado na Orquestra Festival de Budapeste sob a batuta do renomado maestro húngaro Ivan Fischer. Integrou a Jeunesses Musicales World Orchestra, apresentando-se  em palcos como o da Sala da Berlin Philarmonie, Essen Philarmonie, Palau de la Musica de Valencia, Auditorio de Concertos de La Nucia na Espanha, Kurhaus Scheveningen Hall e Drachten De Lawei. 

Já se apresentou como solista convidado de várias orquestras brasileiras interpretando obras de nomes como Mozart, Weber, Rossini, Nielsen, Krommer, Ernest Mahler. Como compositor, tem escrito obras para clarineta solo, clarone solo e outras formações como duos, trios, quartetos e quintetos. Em 2010 estreou sua primeira obra para Clarineta e banda sinfônica juntamente com a Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo. Atualmente ocupa o cargo de Primeiro Clarinete Principal da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, cursa Mestrado acadêmico em Execução Musical na Universidade Federal da Bahia e participa intensamente de várias formações de grupos de música de câmara. 

 

OSPA PELOS CAMINHOS DO RIO GRANDE 

 

SANTA CRUZ DO SUL: 

Data: Segunda-feira (15/9) 

Hora: 20h30 

Local: Catedral São João Batista (Praça Getúlio Vargas, s/nº) 

ENTRADA FRANCA 

 

CAMPO BOM: 

Data: Terça-feira (16/9) 

Hora: 20h30 

Local: Teatro CEI – Auditório Marlise Saueressig (Rua dos Andradas, 67 - Centro) 

ENTRADA FRANCA 

 

PROGRAMA: 

Wolfgang Amadeus Mozart: Concerto para Clarinete e Orquestra em Lá Maior, K. 622  

Ludwig van Beethoven: Sinfonia No. 5 em dó menor, Op. 67 

Johann Strauss II: Abertura da opereta “Die Fledermaus 

Bis: Johann Strauss I: Marcha Radetzky, Op. 228 

Regente: Manfredo Schmiedt  

Solista: Samuel Rodrigues de Oliveira (Clarinete) 

 

Promoção: OSPA e Comissão de Imigração Alemã no Brasil 

Apoios locais em Santa Cruz: Prefeitura Municipal e UNISC 

Apoios locais em Campo Bom: ACI-NH/CB/EV, Fundação Cultural e Prefeitura Municipal  

Realização: Cida Cultural 

Patrocínio: Favorit e Petrobras 

Financiamento: Pró-Cultura/RS, Secretaria de Estado da Cultura e Governo do Estado do RS



Comentários

Participe! Aqui sua opinião vale muito.


  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2019 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia

Publicidade