Colunistas

16/01/2014

A contribuição teuta à formação da nação brasileira - por Dietrich Böhnke

A história teuto-brasileira está cheia de fatos impressionantes. Não dá para entender por que os brasileiros nada sabem a respeito da contribuição de seus concidadãos alemães. A historiografia brasileira está orientada só para o lado luso.

Saiba mais >>>


Uma matéria marcante e abrangente sobre a presença alemã no Brasil desde o seu descobrimento está nas páginas 1 e 8 do semanário Brasil-Post de 20 de julho 2001. O jornalista e historiador Dieter Böhnke, ex-assessor de Imprensa da Bayer S. A., faz um amplo relato da participação contínua de alemães na história do Brasil, presentes já na esquadra de Pedro Álvares Cabral, e de sua profunda influência nos mais diversos setores. A bandeira do Brasil, por exemplo, é a expressão da feliz união de duas dinastias: o verde representa a Casa de Bragança de Dom Pedro I e o amarelo a Casa de Loríngia e Habsburg, da qual descende a Imperatriz Dona Leopoldina, esposa de Dom Pedro I. O verde e o amarelo representam também, como cores nacionais, a República. “Wo, bitte - fragt Dieter Böhnke – wird das an brasilianischen Schulen gelehrt - Onde, por favor - pergunta Dietrich Böhnke – isso é ensinado em escolas brasileiras?” Também o brasão da República do Brasil foi projetado por um engenheiro alemão, Artur Sauer, em 1889, por incumbência de seu amigo Marechal Deodoro da Fonseca, primeiro presidente da nova República e grão-mestre do Grande Oriente dos maçons. (Íntegra, em alemão, do artigo de Dieter Böhnke em “Destaques” no site www.bralon.com  -  obs.: bralon foi durante algum tempo a forma abreviada de designar "brasilalemanhaonline"). Esperamos em breve recuperar este texto também no original alemão, publicado no BrasilAlemanha em 2001 - Nota da Redação). 
  

* * * * *

Em complemento a este breve relato, BrasilAlemanha recebeu o seguinte Comentário esclarecedor, de André Luís Hammann, de Montenegro, RS, aqui reproduzido na sua sequência lógica e na íntegra:

“Olá caro Rockenbach,

Eu li o artigo postado no site Brasil-Alemanha, elaborado pelo Sr. Böhnke, o felicito pelo excelente e preciso resgate histórico sobre a importância dos imigrantes germânicos na formação do nosso país.

Quero apenas complementar que na parte de Economia se falou de uma forma mais exclusiva sobre a Indústria, porém gostaria de reforçar que o imigrante alemão e seus descendentes também foram a chave para o boom agrícola do Brasil, a produção em larga escala da soja protagonizada pela cidade de Santa Rosa no RS e com isto veio o surgimento e expansão da indústria agrícola ou de máquinas agrícolas, como grande ícone a antiga SLC de Horizontina RS – veja um breve relato que fiz um tempos atrás, mas que pode complementar este resgate histórico:

“Cito empreendedores de origem alemã como Gerdau (maior multinacional brasileira, com grande número de fábricas de aço nos EUA), a antiga SLC (Schneider, Logemann e Cia) fabricante da primeira colheitadeira de grãos (soja, milho, trigo, arroz...) brasileira, consagrando Horizontina como a capital nacional da colheita mecanizada, a IDEAL da família Gelbhaar de Santa Rosa (também fábrica de colheitadeiras), Eickhoff e Fankhauser fabricantes de plantadeiras, antiga fábrica de tratores Müller, as indústrias de couro e calçadistas do Vale do Rio dos Sinos no RS, cidades do noroeste gaúcho, colonizadas em sua maioria por alemães, responsáveis pela produção leiteira e de suínos do Estado, o pastor luterano teuto-americano Lehenbauer que trouxe as primeiras sementes de soja para Santa Rosa (“Capital Nacional da Soja”), de onde a cultura foi difundida, tornando-se hoje o produto agrícola mais produzido no Brasil, importantíssimo para a economia nacional e exportações. Temos ainda Kohlbach, Renner, WEG, Schulz, VARIG... Ainda temos indústriis de capital alemão, como Stihl, Thyssen Krupp, Mannesmann, Siemens, Voith, Volkswagen, Mercedes-Benz, Motores MWM... A Alemanha é um dos países que mais possui investimentos no Brasil, sendo responsável por cerca de 10% do seu PIB.”

"Eu espero que o Governo Brasileiro e a Sociedade reconheçam neste ano Festivo a importância dos alemães e seus descendentes para a formação da nossa cultura e economia, além de outras áreas...”

"André Luís HAMMANN
Cab & Weld ME
ME - Welding Process
ME SME PDM-Link/CREO
John Deere Brasil Montenegro - BM
+ 55 51 3457 6694 (office)
+ 55 55 9938 2947 (cell)"

 



Comentários

deslogado
SYLVIA EWEL LENZ 06/12/2017, às 09:51

Historiadores em geral são brasileiros descendentes de portugueses de Rio e SP, e menosprezam a presença germânica, italiana, polonesa, japonesa, dentre outros tantos povos que construíram este país... Meu doutorado foi sobre os alemães no Rio de Janeiro, de 1816-1866, formada por negociantes, artífices, fabricantes e artistas.

deslogado
Sy 06/12/2017, às 09:50

Historiadores em geral são brasileiros descendentes de portugueses de Rio e SP, e menosprezam a presença germânica, italiana, polonesa, japonesa, dentre outros tantos povos que construíram este país... Meu doutorado foi sobre os alemães no Rio de Janeiro, de 1816-1866, formada por negociantes, artífices, fabricantes e artistas.

deslogado
Aline Zorzin 15/03/2016, às 16:49

Eu e minha turma de gastronomia da UNIMONTE de Santos, SP, estamos organizando um pequeno evento cujo tema é Alemanha no Sul do Brasil. Será realizado nas dependências da faculdade no dia 10/06. Agradeço por compartilharem conosco suas tradições e costumes. Nos sentimos honrados por divulgar esta rica cultura em nossa região. Este site foi de grande valia para nós.

deslogado
Dércio Gräbin 23/01/2014, às 14:30

Parabenizo este site pela ótima reportagem, tivessem mais sites, escolas, e outros meios culturais no Brasil, que, infelizmente carece muito destes, o povo brasileiro teria mais acesso ao conhecimento e a sua história verdadeira! Infelizmente nada do que se pode ler acima é ensinado nas escolas e nem faculdades, o povo brasileiro sequer conhece metade de sua história! No desenvolvimento, nas artes, cultura, e até na criação de símbolos nacionais do nosso país sempre esteve o conhecimento e a participação dos valorosos imigrantes Alemães que, outrora e as vezes ainda pouco são valorizados e reconhecidos! A bem da verdade, sem a participação dos imigrantes Alemães, nem sei onde estaríamos hoje neste país, que mesmo assim, ainda engatinha e esta tão difícil conseguir tirar do atoleiro generalizado em que sempre está com suas corrupções, desvios, altos impostos e demais desorganizações, em todos os sentidos! Parabéns ao Sr. Dieter Böhnke por este belo trabalho de esclarecimento, e tamb

deslogado
André Luís Hammann 21/01/2014, às 16:22

arroz...) brasileira, consagrando Horizontina como a capital nacional da colheita mecanizada, a IDEAL da família Gelbhaar de Santa Rosa (também fábrica de Colheitadeiras), Eickhoff e Fankhauser fabricantes de plantadeiras, antiga fábrica de tratores Müller, as Indústrias de Couro e Calçadistas do Vale dos Sinos no RS, cidades do noroeste Gaúcho, colonizadas em sua maioria por alemães, responsáveis pela produção leiteira e de suínos do Estado, o Pastor Luterano Teuto-Americano Lehenbauer que trouxe as primeiras sementes de soja para Santa Rosa (capital nacional da soja), de onde a cultura foi difundida, tornando-se hoje o produto agrícola mais produzido no Brasil, importantíssimo para a economia Nacional e exportações, temos ainda Kohlbach, Renner, WEG, Schulz, VARIG... Ainda temos Indústrais de capital alemão, como Stihl, Thyssen Krupp, Siemens Voith, Volkswagen, Mercedes-Benz, Motores MWM... a Alemanha é um dos países que mais possui investimentos no Brasil.” Eu espero que o Governo B

deslogado
André Luís Hammann 21/01/2014, às 16:19

Olá caro Rockenbach, Eu li o artigo postado acima escrito pelo Sr. Böhnke, o felicito pelo excelente e preciso resgate histórico sobre a importância dos imigrantes germânicos na formação do nosso país. Quero apenas complementar que na parte de Economia se falou de uma forma mais exclusiva sobre a Indústria, porém gostaria de reforçar que o imigrante alemão e seus descendentes também foram a chave para o Boom agrícola do Brasil, a produção em larga escala da Soja protagonizada pela cidade de Santa Rosa no RS e com isto veio o surgimento e expansão da Indústria Agrícola ou de máquinas agrícolas como grande ícone a antiga SLC de Horizontina RS – veja um breve relato que fiz um tempo atrás, mas que pode complementar este resgate histórico: “Cito empreendedores de origem alemã como Gerdau (maior multinacional brasileira, com grande número de fábricas de Aço nos EUA), a antiga SLC (Schneider, Logemann e Cia) fabricante da primeira colheitadeira de grãos (soja, milho, trigo, arro


  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2018 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia