Colunistas

21/09/2014

matéria de: Ivan Seibel

Seibel 1049 AHAI - A vida dedicada ao trabalho

Hoje não cansam de fazer a mesma pergunta: Porque do trabalho infantil na população pomerana antiga? Os filhos, até a década de 1930, na medida em que cresciam, passavam a frequentar as escolas da comunidade durante dois ou três dias da semana, enquanto que nos outros dias gradativamente assumiam diferentes tarefas domésticas ou na lavoura. A família, portanto, precisava contar com o auxílio dos filhos. Até porque toda a estrutura familiar estava baseada no princípio do trabalho com a participação de todos e sua sobrevivência teria sido impossível com apenas uma ou duas pessoas incumbidas de todo o trabalho na propriedade. Esta característica neste grupo populacional passou a ser cultural e ninguém a contestava. Isto certamente foi responsável pelos resultados financeiros obtidos pelos agricultores pomeranos. Era o princípio de que apenas os dedicados conseguem produzir. O pensamento de que “o trabalho enobrece”, apesar de todos os contratempos, fez com que este grupo étnico e demais imigrantes capixabas conseguissem sobreviver e encontrar o cominho do progresso.  A cultura pomerana incorporou um conceito muito próprio sobre o trabalho. NÃO SE TRABALHA PARA VIVER, VIVE-SE PARA TRABALHAR. Este princípio talvez pode ter contribuído para a própria sobrevivência deste povo que, ao longo dos séculos, de outra forma talvez tivesse sucumbido.

Seria isto por hoje. 

Seu Ivan Seibel

  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2019 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia

Publicidade