Colunistas

27/01/2014

matéria de: Ivan Seibel

Folha Pomerana Edição 07, Ano I - Um pouco de História da Pomerânia

Certa vez, depois do culto ouví de um pomerano: Hüt hät dai Praista vera sei gaut präicht, owa faschtoh häf ik doach blosich nüst... ou seja, “hoje o pastor fez uma linda prédica, apesar de eu nada ter intendido”. Porque este respeito aos pastores a ponto de elogiar uma prédica (um sermão) quando nada do que foi falado tinha sido compreendido? Talvez tenhamos que recuar na cronologia da antiga pomerânia para tentar encontrar uma explicação para este epísódio.

Sabe-se que, no século XVI, quando foram convertidos ao luteranismo continuaram vendo no pastor aquela figura que impunha uma disciplina rígida apoiada pelo senhor feudal. (conforme Folha Pomerana de 07 12 13). Se voltarmos os olhos para a história da Pomerânea, facilmente constatamos que a população desta região ao longo dos seus mil anos de história, viveu sob o domínio de uma boa variedade nações. Entretanto, o domínio religioso sempre esteve a cargo de sacerdotes. A sua denominação, os “Praista”, na língua alemã também conhecida como Priester, o que no português poderia ser traduzido para sacerdote, na era romana já era conhecido por sacerdox. Deduzse daí que a denominação utilizada para se referirem a “pastor” das comunidades pomeranas na verdade tem a sua origem em um personagem sacerdotal de muito antes da cristianização do povo pomerano.

Mas, retornemos para a história: A primeira menção da Pomerânia (Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Pomer%C3%A2nia) remonta do latim \"longum mare\" (= \"pelas costas do mar\") em um documento papal escrito por volta de 1080, o Dagome iudex, uma cópia abreviada de um documento supostamente escrito no ano de 992. O registro comenta uma certa Oda von Haldensleben e seu esposo \"Dagome\", assumidamente um governante polonês chamado Miecislau I, e se refere a um território designado por \"Dagome\" ao papa. Um documento imperial datado em 1046 menciona por primeira vez o termo \"Pomerânia\", referindo-se a \"Zemuzil dux Bomeranorum\" (Siemomysl, Duque dos pomeranos).


Daí em diante a \"Pomerânia\" é mencionada repetida-mente nas crônicas de Adam von Bremen (ca. 1070) e Gallus Anonymous (ca. 1113). A história da região é rica e variada, por ter permanecido  sob o domínio de diferentes potências ao longo dos séculos. De 1186 a 1806 esteve principalmente sob o domínio do Sacro Império Romano-Germânico. Com a dissolução deste império em 1806 por Napoleão Bonaparte, a Pomerânia tornou-se parte do Reino da Prússia e depois do Império Alemão. A partir de então mais de 330 mil pomeranos migraram para os Estados Unidos e muitos para o Brasil.

A primeira dinastia de duques chamava-se os Grifos, em alemão \"Greifen\", em polonês \"Gryfici\". Eles eram quase sempre vassalos do Sacro Império Romano-Germânico, só por pouco tempo ficaram vassalos do rei da Polônia. A dinastia reinou do século XI ou século XII até 1637, quando morreu o último duque sem deixar filho herdeiro. Quem herdou o trono foi seu cunhado, o duque do estado alemão de Brandenburgo, a dinastia Hohenzollern. A família obteve assim dois ducados, e pouco  depois herdou ainda o ducado Prússia. Assim formou-se sob o título Prússia um Estado enorme e poderoso desses três ducados cada vez mais outras regiões. O duque ganhou o direito de ser chamado rei, mas a Pomerânia virou província. Depois do fim do Sacro Império Romano-Germânico após derrotas frente a Napoleão Bonaparte em  1806, a Prússia tornou-se um país independente, até a fundação do Império Alemão em 1871, quando a Prússia voltou a ser um estado e seu soberano virou imperador da Alemanha.

Depois da derrota alemã na Segunda Guerra Mundial toda a Pomerânia ficou sob controle militar soviético e a fronteira polonesa-alemã foi deslocada para oeste duma  maneira, que Pomerânia ficou dividida na linha Oder-Neisse entre a Polônia e a zona alemã sob administração soviética, tornou-se mais tarde a república comunista da Alemanha Oriental. http://www.kottenforstgemeinde.de/html/unsere_gemeinde.html 


A população alemã dos territórios a leste da nova linha de fronteira foi quase completamente expulsa e a área foi repovoada primariamente com poloneses (alguns anteriormente expulsos de Kresy) pelos russos, e ucranianos de ascendência polonesa.

Do lado polonês, a Pomerânia é dividida em três voivodias (províncias): Pomerânia Ocidental (em polonês Zachodniopomorskie, ZP), capital Estetino (em alemão Stettin, em polonês Szczecin), ; Pomerânia (Pomorskie, PM) com a capital Gdańsk (Danzig em alemão) ; e Pomerânia-Kujawsko (Kujawsko-Pomorskie, KP). Na Alemanha Oriental todos os estados foram dissolvidos, mas depois da reunificação da Alemanha os antigos estados foram reestabelecidos. Sendo o resto da Pomerânia relativamente pequeno, ele foi reunido com o estado ((Bundesland)) Mecklenburgo, com o nome Mecklemburgo- Pomerânia Ocidental.

A igreja evangélica da Pomerânia, que era a igreja oficial por séculos e é até hoje a igreja predominante na Pomerânia Ocidental, não se adaptou a essas mudanças e assim existe ainda o bispado evangélico Pomerânia. http://pt.wikipedia.org/wiki/Pomer%C3% 

  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2019 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia