Colunistas

26/10/2014

matéria de: Ivan Seibel

25 10 14 AHAI 1055

A Cultura do Café

 

              Os imigrantes que se fixaram no Brasil da mesma forma como aprenderam a plantar os tubérculos, as abóboras e o milho, também tiveram que aprender a plantar e a colher o café. Os primeiros constituíram-se em produtos obtidos ao longo do ano e foram uma importante fonte de alimentos, tanto para homens como para os animais domésticos, até mesmo pela sua facilidade de plantação e posterior conservação.  Já a partir de 1870 o café passou a ser comercializado com mais facilidade, chegando a representar uma boa fonte de renda para os colonos. Com isto, nas regiões mais quentes cada vez mais passaram a se dedicar à sua plantação. Já a partir das migrações internas, seja de pomeranos gaúchos, ou catarinenses para o estado do Paraná, seja pelo novo fluxo migratório desses grupos ou de migrantes capixabas para Rondônia esta cultura passou a se constituir na fonte de renda cada vez mais significativa. No início ninguém sabia como secar ou preparar este café em casca. Já mais tarde passaram a utilizar uma espécie de pilão difundido entre a população nativa. Dai Kafa müsta jo abstambt wara ua dat deiras oft sunnowands ua sünndachs moka.  Desta forma, nos finais de semana passavam a pilar, ou seja, descascar o café para este poder ser torrado e consumido. O pilão evoluiu para o monjolo, já bem mais desenvolvido e somente bem mais tarde chegaram as máquinas. 

           Seria isto por hoje. 

           Seu Ivan Seibel

  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
  • brasilalemanha
Logomarca oficial da imigração alemã no Brasil. Reprodução liberada e recomendada, para uso não comercial.
Para uso comercial e originais em alta resolução: contato@brasilalemanha.com.br.

© 2004-2019 BrasilAlemanha - O portal oficial da imigração alemã no Brasil - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Sapiência Tecnologia

Publicidade